Como a antifragilidade pode ajudar você e sua empresa

O mundo precisa se mobilizar para ter maiores chances de sucesso dentro do paradigma VUCA

Uma das leituras mais provocativas dos últimos tempos, o novo livro do Nassim Nicholas Taleb, Antifrágil, é uma viagem sobre um conceito inovador e um manifesto sobre nossa missão de buscar ser antifrágeis na melhor das nossas capacidades.

Ser antifrágil significa que você não apenas sai ileso da ação de agentes estressores, mas na verdade se beneficia dessa ação, bem na linha daquele ditado “o que não te mata te faz mais forte”. O livro usa o corpo humano como um grande exemplo de antifragilidade e discorre sobre como devemos reforçar essa característica e não buscar uma vida cheia de rotina e sem aventura. Esta última nos levaria, no longo prazo, a uma incapacidade de lidar com situações aleatórias e inesperadas, nos tornando frágeis.

Para fazer o reforço da nossa antifragilidade, a ideia é se jogar de cabeça em experiências fora da nossa zona de conforto que ativem nosso intelecto e nossos sistemas de sobrevivência. Ponto para os atletas radicais, empreendedores e desbravadores em geral. Da mesma maneira, o mundo precisa se mobilizar para ter maiores chances de sucesso dentro do paradigma VUCA. As pessoas, empresas e economias mais antifrágeis serão as de maior sucesso daqui para frente.

Segundo Taleb, o sistema educacional seria uma das bases de nossa fragilidade, gerando cidadãos frágeis na medida em que expõe todos os alunos a uma experiência de aprendizado padrão, com avaliações padronizadas e objetivos padronizados. Mesmo que todo mundo fosse capaz de se desenvolver com a mesma profundidade neste ambiente, o resultado para a sociedade ainda seria muito limitado em termos da diversidade de problemas que poderiam ser resolvidos pelos formandos.

Taleb aponta para o fato de que a educação autoguiada é uma educação mais efetiva, e cita exemplos de sua própria vida para exemplificar. Pessoas guiadas por interesses próprios aprenderiam a fazer mais e melhor que pessoas forçadas a seguir os caminhos estruturados das escolas. Alunos guiados puramente por notas tenderiam a ter um desempenho inferior na vida real, onde os objetivos são menos claros.

A solução antifrágil é a criação de ferramentas que apoiem a expansão de horizontes e da capacidade de aprendizado serão muito úteis para viabilizar indivíduos cada vez mais capacitados em domínios múltiplos, transformando eventos e volatilidade em novas capacidades e reduzindo seus efeitos negativos.

Pessoas com múltiplas habilidades também se aproveitam de uma capacidade maior de se colocar no mercado de trabalho, sempre buscando aqueles trabalhos com a demanda mais interessante pelas suas habilidades e correndo menos risco de ficarem desempregadas caso a demanda por uma de suas habilidades oscile.

Do ponto de vista corporativo, contar com pessoas capazes de desempenhar diferentes tipos de tarefas sem perda de produtividade seria uma vantagem estratégica sensacional, dado que a demanda por trabalho varia em função da sempre variável demanda por produtos e serviços. Conseguir realocar sua mão de obra sem grandes problemas permitiria uma gestão de custos muito mais eficiente, produtos mais baratos e até trabalhadores mais satisfeitos e engajados.

No nível ainda mais macro, uma economia em que pessoas e empresas tenham uma capacidade de realocar sua força produtiva mais facilmente sofrerá menos com recessões. Imagine poder trabalhar em profissões que exijam esforço físico por uma parte do tempo, e em atividades mais técnicas ou criativas uma outra parte, dependendo da demanda específica daquela semana. Essa liberdade criaria uma economia muito mais forte e capaz de evoluir com a volatilidade já que esse cruzamento de experiências criaria trabalhadores muito mais produtivos.

Ler a obra de Taleb foi uma oportunidade incrível de reflexão e todas as pessoas interessadas em se desenvolver e em melhorar deveriam checá-la. Também convido você a descobrir como YggBoard te ajuda a desenvolver múltiplas habilidade e a encontrar os conteúdos que você precisa para ser mais antifrágil.

Por Eric Prando, CEO da Yggboard

Imagem:Pixabay