Como reter talentos

É preciso empregar no mundo corporativo a mesma empolgação que um estudante tem em aprender algo novo

Muito se fala em reter talentos – acredito ser este um brilhante caminho a ser trilhado por empresas que buscam crescer em qualidade, conquistar e expandir mercados. Mas qual o segredo do sucesso para chegar num resultado onde se verifica a real retenção de bons funcionários conhecedores do negócio?

Um funcionário leva em média dois anos para adquirir maturidade profissional dentro do seu cargo de atuação. É o tempo necessário para conhecer o mercado onde a empresa atua, os departamentos que a compõem, o papel de cada área, sistemas e, obviamente, conhecer a fundo sua função, obter responsabilidades, tornar-se referência, chegar ao ponto de desempenhar seu papel demonstrando total segurança naquilo que faz.

Desde os tempos da faculdade, quando iniciamos um curso, o conteúdo sempre é voltado às aulas práticas e teóricas. Praticamos seminários, apresentações em sala de aula, simulamos a abertura de uma empresa, apresentamos TCCs, aulas de laboratório, ou seja, colocamos em prática o que aprendemos na teoria. No mundo corporativo deveria ser igual: receber as instruções teóricas daquilo que se quer colocar em prática.

Empresas que investem em capacitação estão alguns passos à frente daquelas que ainda não identificaram este caminho. Um bom exemplo é quando assistimos a uma palestra de algum expert em determinado assunto: saímos motivados, entusiasmados pelo novo conhecimento adquirido, queremos logo colocar em prática.

Precisamos empregar em nosso mundo corporativo a mesma empolgação que um estudante tem em aprender algo novo. Como tudo é mais motivador quando entendemos sobre determinado assunto. Lembra da expressão “Eureka”, dita por Arquimedes quando resolveu o complexo dilema para calcular o volume – ele saiu correndo e gritando de tão empolgado. As descobertas nos trazem esses sentimentos: empolgação, segurança, coragem.

A escolha de um bom profissional inicia-se com o processo seletivo, mas o desenvolver deste candidato dentro da corporação, dependerá do investimento que ela está disposta a empregar. Ensinar pessoas, capacitando-as, desenvolvendo suas melhores habilidades, traz maior engajamento dentro da empresa quando as pessoas são motivadas.

 

Liane Sanerip é CEO da Enterpriserh