Empresas precisam se preparar para entrada do eSocial, afirma KPMG

Novo sistema começa operar no próximo dia 8 de janeiro

O eSocial para empresas que tiveram faturamento superior a 78 milhões de reais entra em operação na próxima segunda, dia 8 de janeiro. Elas fazem parte do primeiro grupo que é obrigado a incluir informações fiscais, previdenciárias e trabalhistas no sistema digital do governo. Com isso, espera-se unificar os informes de forma digital e tornar a fiscalização do cumprimento da legislação mais efetiva. Em julho, será a vez das demais, incluindo as pequenas e o Micro Empreendedor Individual (MEI). O prazo final é janeiro do próximo ano com os órgãos públicos.

“Acredita-se que muitas empresas estejam preparadas para utilizar o sistema, mas os desafios são a inclusão dos dados de forma correta e o investimento em tecnologia, treinamento e organização dos dados da folha de pagamento.

Será um teste para o governo e as companhias que possuem grande quantidade de dados. Será um momento de ajustes. A não inserção dos dados no prazo poderá acarretar em contingências. O grande desafio será para o segundo grupo formado pelas pequenas e médias empresas.”, afirma o sócio da KPMG, Valter Shimidu.

O sistema do e-Social possui cerca de 45 tabelas e 1.900 campos de conteúdo a serem preenchidos com dados referentes a quatro temas: recursos humanos, fiscal, jurídico, saúde e segurança do trabalho. Segundo o sócio, a inserção de informações das empresas no e-Social trará uma série de desafios para as empresas.

“Além da necessidade de revisar os processos tributários, trabalhistas e previdenciários para assegurar a conformidade em relação aos requerimentos legais, as empresas terão ainda que realizar uma mudança de cultura e de processos internos já que a alteração dos eventos deverá ser reportada imediatamente”, explica o sócio.