O feedback no processo de recrutamento e seleção

É essencial falar a um candidato as razões pelas quais ele não foi escolhido

Você provavelmente não recebeu o retorno de muitas entrevistas profissionais em sua carreira, não é mesmo? O feedback é tão importante quanto qualquer outra parte da seleção, e a maioria das empresas não utilizam esta prática. O profissional em busca de recolocação no mercado de trabalho está exposto a grandes exigências e a uma disponibilidade, que ao final, se não for selecionado, não recebe um retorno sobre seu desenvolvimento no processo, e muitas vezes nem ao menos um “obrigado”.

Segundo Nayade Kenis, especialista no setor de Pessoas & Performance da empresa Vitta, “é essencial falar a um candidato as razões pelas quais ele não foi escolhido. Além disso, cabe ao recrutador, oferecer inputs que possa auxiliar o candidato a repensar sua carreira baseados nas informações colhidas durante a seleção e indicar de que forma ele pode ser melhor. Deveria ser obrigação de todo profissional da área agir dessa forma”.

Um processo seletivo pode trazer muitos ganhos ao candidato (mesmo se não for aprovado), pois serve como uma oportunidade de conhecer suas competências, o que pode ser melhorado, além de dar um panorama de mercado, do que está sendo exigido e oferecido para determinada área. “Encarar o processo como um ganho sempre, independentemente do resultado, pois saber como você é já pode ser considerado um ponto positivo na construção de sua carreira e na busca por melhores oportunidades”, finaliza Nayade.

Para nós, dar um retorno ao candidato sobre sua desenvoltura no processo é parte essencial do trabalho de seleção. “Acreditamos que o feedback torna o processo mais humanizado, respeitoso e diferenciado. Os discursos são de alta categoria e muito naturais. Levam os candidatos a profunda reflexão e temos certeza de que vai elevar a régua deles para próximas oportunidades”, conta ainda Ana Julia Triñanes, manager de Pessoas e Performance da empresa.