O investimento na força de trabalho protagonizado pelo RH da TOTVS

Processos diferenciados de atração e retenção, treinamento e fortalecimento da cultura trazem bons resultados

Diretora de RH da TOTVS Brasil e Mercado Internacional desde fevereiro de 2016 na companhia, Rita Pellegrino é a responsável por desenvolver iniciativas que visam extrair o melhor dos diferentes perfis de colaboradores, oriundos de diferentes gerações e de diversas empresas adquiridas pela TOTVS nos últimos anos.

A executiva carrega na bagagem mais de 15 anos de atuação na área de RH e, antes de ingressar na companhia, trabalhou por mais de 10 anos no mercado financeiro, onde foi uma das responsáveis pelo processo de integração e consolidação da nova cultura pós-fusão entre duas instituições financeiras.

A diretora de RH é formada em Psicologia pelo Centro de Estudos Superiores de Londrina, com pós-graduação em Administração de Recursos Humanos pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), especialização em Gestão de Pessoas pela Fundação Instituto de Administração (FIA/USP) e formação em Executive Coach pelo Erickson Coach International (Canadá).

MUNDO RH – De que forma o RH da TOTVS está investindo na sua força de trabalho?

RITA PELLEGRINO – A TOTVS investe fortemente nos TOTVERS, como são chamados os nossos colaboradores. Temos uma cultura organizacional bem definida e, com base nela, definimos as competências estratégicas que são nosso guia para desenhar a capacitação e o desenvolvimento dos profissionais.

Ao longo de 2017, treinamos mais de 350 líderes da companhia, entre gerentes e executivos. Todos eles foram capacitados em três módulos presenciais, com foco em princípios básicos de gestão de pessoas, comunicação ascendente e gestão de equipes de alta performance, Em 2018, nosso objetivo é capacitar todos os coordenadores. Investimos muito forte em liderança para que os gestores estejam bem preparados e alinhados com os atributos da nossa cultura #somosTOTVERS.

Em dezembro de 2017 lançamos a Universidade TOTVS, criada com base nas competências estratégicas da empresa.  A partir dessas competências, desenhamos cinco academias, sobre as quais definiremos as trilhas de cada carreira – técnica, negócios, administrativa, entre outras. Todos os profissionais terão trilhas de conhecimento e capacitação específicas, visando o seu desenvolvimento. Mais do que um centro de treinamento e desenvolvimento, a proposta da Universidade é um novo modelo de aprendizagem colaborativa, que fomente a sede pelo aprendizado e autodesenvolvimento, apoiada em diferentes metodologias. Queremos que cada TOTVER vá muito além do conhecimento que é proposto para a trilha dele naquele momento de carreira.

MUNDO RH – No que busca se diferenciar a TOTVS em relação ao tradicional processo de recrutamento e seleção?

RITA PELLEGRINO – Para a TOTVS, o processo de Atração e Seleção está completamente ligado ao negócio da companhia. Entendemos que o papel da nossa estrutura de Atração é garantir o alinhamento entre a necessidade do negócio, com as melhores pessoas, considerando sempre o público interno e externo. Quando pensamos em estratégia, iniciamos o processo de Atração e Seleção, com a construção de uma forte marca empregadora e com um grande relacionamento com o mercado. Nossos recrutadores conhecem do negócio dos nossos clientes e, inclusive, participam de eventos, encontros de universidade e são parte ativa das comunidades, online e offline, principalmente as techies.

Falando do processo em si, na TOTVS, prezamos pela experiência do candidato. Queremos que cada um seja impactado com a mensagem correta, que participe de um processo de seleção que o engaje e que sejam fãs da nossa marca empregadora e, para isso, uma boa experiência é fundamental. Nossas vagas não são divulgadas apenas em canais convencionais. Uma vez que nosso time de Atração está engajado no negócio, é mais fácil atingirmos o público específico, pois somos parte da comunidade. O que isso quer dizer? Quer dizer que quando buscamos um profissional para uma vaga, alinhamos com o gestor não apenas as habilidades exigidas para a posição, mas também como faremos a comunicação da vaga, qual será o hunting ground, qual mensagem usaremos na comunicação, quais ferramentas utilizaremos para a condução do processo e como tornaremos o processo seletivo uma melhor experiência aos candidatos.

O processo de entrevista é uma das etapas mais importantes para consolidar a experiência do candidato, por este motivo, tornamos este momento o mais agradável possível. Esqueça aquelas “pegadinhas” ou perguntas sem sentido, o time de Atração da TOTVS não apenas foca em avaliar as habilidades do candidato, mas também conhecer sobre sua história e como suas competências nortearam sua carreira. Esta avaliação garante o alinhamento entre o candidato e a nossa cultura, afinal, na TOTVS, valorizamos gente boa que é boa gente.

MUNDO RH – Quais as estratégias do RH para atrair e reter os talentos?

RITA PELLEGRINO – Comentamos anteriormente nossa estratégia para atrair talentos. Em resumo, focamos esforços em nossa Marca Empregadora e no relacionamento com o mercado, na experiência do candidato e em processos sempre inovadores e aderentes para cada perfil ou público. Sobre retenção, quando atraímos profissionais aderentes à nossa cultura, é mais fácil garantir a retenção e engajamento destes talentos. Desta forma, a cultura é uma importante ferramenta; talentos que se identificam com nossa cultura, apreciam a empresa e se sentem felizes aqui.  Programas de capacitação, gestão ancorada em meritocracia, acompanhamento do clima organizacional e líderes bem preparados também fazem parte da estratégia de atração e retenção dos TOTVERS.

MUNDO RH – Como a empresa busca no dia a dia oferecer um ambiente diferenciado e moderno para se trabalhar, e qual o impacto em gestão de pessoas das recentes transformações ocorridas na TOTVS?

RITA PELLEGRINO – Temos já duas grandes unidades da TOTVS neste ambiente mais moderno, uma em São Paulo e outra em Joinville. Mais da metade dos profissionais trabalha em um ambiente que favorece a colaboração. Nessas unidades, temos centros de convivência, como as macrokitchens, ambientes que visam proporcionar uma melhor experiência de trabalho aos nossos colaboradores e contribuir para a integração entre eles, além de ser um espaço no qual os funcionários podem realizar refeições rápidas, tomar um café, comprar um lanche e até jogar sinuca em momentos de descompressão e relaxamento. Isso deixa o dia a dia do funcionário mais leve e, por consequência, mais produtivo. Acreditamos que o processo de inovação acontece a partir da troca de experiências e da colaboração, um ambiente aberto e sem obstáculos, facilita muito essa interação entre os TOTVERS.

MUNDO RH – Descreva algumas das práticas de sucesso em gestão de pessoas que trouxeram resultados positivos para a organização nestes dois últimos anos?

RITA PELLEGRINO – Temos falado muito em meritocracia e na proximidade de gestores com suas equipes. A maioria dos nossos funcionários, cerca de 70% deles, é da geração Y uma geração que requer feedbacks frequentes e se engaja por propósito e por ter um líder presente e inspirador, que a desafie diariamente. Por outro lado, demanda mais tempo e dedicação dos gestores para que estabeleçam uma relação de confiança e aberta a conversas a qualquer momento.

MUNDO RH – No dia a dia como a empresa lida com as diferentes gerações?

RITA PELLEGRINO – Acabamos de rodar uma pesquisa de clima com metodologia internacional e o índice de maior destaque positivo foi o de Diversidade, com 95% de favorabilidade. Isso significa que aqui, os funcionários reconhecem a TOTVS como uma empresa que respeita e trabalha bem com diversidade, independentemente da cor de pele, opção sexual, gênero ou idade. No começo desse ano, a TOTVS fez a contratação de profissionais aposentados, com idade acima de 55 anos e criou o programa Geração Sênior. Trata-se de profissionais com grande experiência de mercado que atuam nas áreas de suporte e desenvolvimento. Mesmo com a maioria dos nossos profissionais sendo muito jovens, a interação entre eles não tem sido um problema. Muito pelo contrário, os feedbacks estão sendo bastante positivos e já temos mais três vagas abertas, para este público.

MUNDO RH – Como o RH da empresa avalia as relações de trabalho vindas da nova Reforma Trabalhista?

RITA PELLEGRINO – A TOTVS enxerga a reforma laboral como uma evolução para o mundo do trabalho e acredita que os benefícios da reforma poderão ser percebidos tanto pelas empresas como pelos profissionais. As novas regras possibilitam, por exemplo, atender a diversos anseios dos profissionais de TI, como divisão de férias em três períodos, trabalho por produtividade, contrato individual de trabalho para colaboradores com maior remuneração e capacitação. Além disso, a Reforma tende a trazer mais segurança jurídica para o mundo do trabalho. A implementação das novas regras na TOTVS será feita com cautela, a partir de avaliações internas do que faz sentido para a empresa e para os TOTVERS, buscando sempre um alinhamento com o sindicato e entendimento da Justiça.

MUNDO RH – Conte nos um pouco sobre os seus desafios no RH da TOTVS?

RITA PELLEGRINO – O grande desafio da TOTVS é a mobilização em torno da evolução da cultura da companhia. O grande movimento de cultura foi feito no início de 2017 e sabemos que todo processo de sedimentação de cultura leva alguns anos. O grande desafio agora é fazer a revisão de processos, políticas e ferramentas que reflitam os atributos da cultura da TOTVS: Tecnologia+Conhecimento são o nosso DNA; O sucesso do cliente é o nosso sucesso; e Valorizamos gente boa que é boa gente.