Os desafios do RH da BomBril, Bradesco, IBM, Sama,Ticket e Volvo

Executivos destacam algumas de suas estratégias para superar as metas e continuar desenvolvendo seus colaboradores

Glaucimar Peticov, diretor de RH do Bradesco

A área de Recursos Humanos do Bradesco está permanentemente alinhada com as estratégias da organização. A empresa dispõe de uma das maiores e melhores estruturas de gestão de pessoas e de educação corporativa do País. Desta forma, são oferecidas soluções plenamente aderentes às demandas de um mercado cada vez mais exigente, competitivo e em transformação.

Para a diretora de RH, Glaucimar Peticov, os desafios são cada vez maiores e enfrentá-los é um fator positivo. Segundo a executiva, um deles é convívio com quatro gerações diferentes na mesma organização, tarefa que requer a adoção de estratégias de gestão que combinem o melhor de cada uma delas, em um processo de aprendizado e ganho mútuos, gerando sinergias e resultados sustentáveis. “Com essa perspectiva, continuaremos com o objetivo de impulsionar a performance, desenvolver novos talentos e promover o engajamento, além de intensificar conexões com uma cada vez mais presente cultura digital”, conta a executiva.

 

 

José Ricardo Amaro, diretor de RH da Edenred (Ticket)

Na Edenred (Ticket), um dos pontos mais relevantes para retenção de talentos é proporcionar um modelo justo de oportunidade de carreira, baseado na cultura de meritocracia. O modelo de gestão de talentos está constituído em processos de avaliação de competências, comitês de pessoas para calibração das avaliações, mapeamento de potencial onde se mede profundidade, amplitude e prontidão dos colaboradores, além dos contratos de gestão onde são pactuadas e mensuradas as metas atingidas de cada colaborador.

A empresa oferece um pacote de remuneração e benefícios atraente, com um bom programa de previdência privada, um plano de saúde de alto padrão, remuneração variável através do PLR, programa de comissionamento para a força comercial, plano de incentivo de longo prazo para executivos com atribuição de ações do grupo no modelo de “Performance Share”, além de outros benefícios diferenciados, como a política de carros para executivos.

O apoio na educação e capacitação profissional também é um elemento importante para a retenção e desenvolvimento dos talentos, que conta com a “Academia Edenred”, no conceito de Universidade Corporativa, com uma plataforma de educação a distância que oferece muito conteúdo para os colaboradores. Além disso, são ofertados subsídios para cursos de especialização e de idiomas, além de programas de pós-graduação em grandes instituições de educação corporativa.

José Ricardo Amaro, diretor de RH, recentemente promoveu um workshop com toda a sua equipe de RH com o objetivo de desdobrar as estratégias definidas pela alta direção da empresa.

Nesta ocasião, segundo ele, a equipe construiu um “Master Planning” que definiu os principais projetos e programas de RH a serem implantados ao longo de 2017, definindo prazos e responsáveis. O planejamento de RH foi apresentado para o a presidência e para o comitê de direção, para fins de validação das ações e do plano de trabalho, em linha com as estratégias de negócio e prioridades em gestão de pessoas.

Pedro Christino de Magalhães Neto, gerente Gente da BomBril

A fórmula encontrada pela RH da BomBril é continuar desenvolvendo as pessoas de forma a garantir que todos estejam alinhados com as metas da organização, assim como o desdobramento das metas para ter todos os envolvidos em um processo único de superação das metas.

De acordo com Pedro Christino de Magalhães Neto, gerente Gente, Saúde, Segurança e Meio Ambiente, os grandes desafios estão em conseguir colocar pessoas certas nas posições certas, por isso o RH está mantendo o ciclo de avaliações e revisando o 9box. Além disso, o time de RH tem como objetivo desenvolver os empregados da empresa para conseguir atuar de forma a atender as necessidades da organização.

Moacyr Mello Junior, gerente de RH da SAMA

Já para o RH da Sama Mineração, pela perspectiva serão vários os desafios que o RH estará enfrentando diariamente em 2017, desde a redução de custos até a simplificação de sistemas e processos. Por outro lado, o desenvolvimento de liderança e pessoas sempre foi e continuará sendo uma das prioridades na organização, por acreditar que treinamento e desenvolvimento continuam sendo um investimento, não devendo ser visto apenas como gastos, pois oferece aos colaboradores a oportunidade de terem uma visão mais ampla do negócio, além de facilitar e melhorar o trabalho dos mesmos.

Neste cenário, Moacyr Mello Junior, gerente de RH explica que, com os desafios enfrentados atualmente, foi necessária uma reavaliação e adequação no que diz respeito a valores e prioridades no budget de 2017.

Para isso, foi necessário fechar parcerias, criar novos programas e projetos, além de utilizar o capital intelectual para o repasse de informações que serão de extrema importância para o desenvolvimento das atividades dos colaboradores. “Acredito que outro aspecto para enfrentar os desafios será a participação dos colaboradores em projetos que trazem melhorias e redução de custos, como é o caso do Programa Seis Sigma, que já faz parte da rotina de nossos colaboradores”, destaca.

O RH também entende que embora a crise gere insegurança, também é o momento em que as pessoas mais crescem e demonstram capacidades criativas e esforços de superação de limites. Os resultados do ano de 2016 são o maior exemplo para a Sama de que as pessoas se dedicam mais quando se sentem desafiadas e sabem da importância de seu papel para os resultados da empresa, passando a compreender o verdadeiro significado e propósito do seu trabalho para a Sama. É pensando assim é que espera enfrentar os grandes desafios, buscando manter a empregabilidade e promovendo o desenvolvimento de seus colaboradores.

Ricardo Nanami, gerente de RH da Volvo

Na Volvo, o RH acredita que a estratégia de estar mais próximo das áreas de negócio é ainda mais importante para o RH em um momento de incertezas na política e economia, pois o alinhamento da estratégia de RH com as metas da organização, em conjunto com uma equipe multifuncional de RH será o sucesso para superar as metas para 2017. Para Ricardo Nanami, gerente de RH, o desenvolvimento contínuo e a conexão com novas tecnologias serão fator de sucesso para a manutenção da empregabilidade em RH, e cada vez mais o conceito de digitalization estará presente no processo de desenvolvimento da organização e colaboradores.

 

 

Luciana Camargo, VP de RH da IBM

Luciana Camargo, VP de RH da IBM para a América Latina, explica que a sua área tem como principal objetivo impulsionar a transformação do negócio do ponto de vista mais amplo, revitalizando o conhecimento nas áreas mais estratégicas do negócio. O que isso significa? Segundo ela, quer dizer que é fomentado uma cultura de inovação, que se expressa em novas formas de liderança, como o caso do coaching e feedback, em novas formas de trabalho, pelo uso do design think e agile, e na atração de novos talentos, na gestão de mudança e na construção de um ambiente mais aberto e colaborativo.

A executiva oferece esses exemplos para que se entenda que o papel dos Recursos Humanos na IBM se tornou fundamental no desenho de soluções para aumentar a competitividade do negócio e promover engajamento dos times, tendo sempre como prioridade a experiência dos profissionais e líderes. Com isto, o RH está trabalhando não apenas para superar metas de 2017, mas também reposicionando o negócio para o futuro.

Para Luciana, o desafio de qualquer profissional hoje em dia, e não apenas para os profissionais da sua organização, é aprender continuamente e estar aberto a mudança, a novos hábitos, novas experiências. “Precisamos estar abertos, principalmente, a pensar diferente. É importante que todos estejam comprometidos com sua carreira e seu conhecimento, e não esperar que a empresa faça isto por você”, alerta.

Na visão da RH, as tecnologias sociais, analíticas e cognitivas ajudam não somente a conectar pessoas, mas torna o conhecimento acessível a todos, promovendo a inteligência coletiva, no contexto de diferentes comunidades, e na IBM, a geração de conhecimento, pela educação, exposição e experiência, é uma prioridade.

Por isso, como parte da estratégia de aprendizagem, foi implementado um Digital Marketplace – o IBM Your Learning, uma plataforma digital com base Cloud desenvolvida com tecnologia cognitiva IBM Watson.  Essa iniciativa tem o objetivo de proporcionar aos talentos uma experiência diferenciada de aprendizado digital, permitindo que explorem e descubram áreas de autodesenvolvimento, personalizem o conteúdo de acordo com a sua função ou área de atuação, e sobretudo interajam com a plataforma, participando, compartilhando e avaliando essas novas oportunidades de aprendizagem.