Seis dicas para quem deseja trabalhar na área de tecnologia

O segmento, que não para de crescer, abre constantemente vagas para diferentes perfis de profissionais

As carreiras em Tecnologia da Informação foram menos afetadas pela crise e estiveram, em 2016, entre as mais bem ranqueadas em listas sobre vagas e perfis mais buscados. Neste ano, não deve ser diferente. Mesmo em um cenário difícil, o setor deve voltar ao azul este ano, com investimentos 1,6% superiores ao ano passado, segundo a consultoria Gartner.

As áreas de Tecnologia das empresas assumem papéis cada vez mais estratégicos dentro das organizações, sendo responsáveis por projetos de Nuvem e Big Data. As companhias percebem, assim, uma necessidade crescente por profissionais capazes de resolver problemas, em outras palavras, colaboradores que possam desenvolver soluções para aumentar a agilidade da empresa, reduzir desperdícios, atender melhor os clientes e se adaptar com rapidez às mudanças constantes de cenário.

Formação universitária e proficiência em inglês são pré-requisitos, mas há outros fatores que devem ser levados em conta por quem busca oportunidade em uma empresa de tecnologia. Silvio Trindade, diretor de Recursos Humanos da CA Technologies para América Latina, reuniu seis pontos importantes que podem definir a contratação. Veja:

  • Experiência, seja ela qual for

Todo o histórico profissional, mesmo quando não relacionado à área de tecnologia, é válido. Altos executivos da área de Tecnologia não são, necessariamente formados em Ciência da Computação, mas sim em Engenharia, Administração ou Direito. O que conta, para trabalhar com Tecnologia, é como você vai adaptar os seus conhecimentos prévios à realidade da empresa em que quer trabalhar, seja o know-how em administração de recursos, gestão de tempo e de equipes, habilidade para vendas, apresentar-se bem em público e até mesmo trabalhos voluntários.

  • Vontade de aprender todos os dias

Isto é especialmente necessário no segmento de tecnologia pois há mudanças constantes, o que faz com que o profissional – mesmo o que já possui diplomas e certificados – tenha que seguir aprendendo. Cursos de expansão, como os voltados a bancos de dados, por exemplo, podem ser mais valorizados do que os cursos regulares por conterem mais atualizações.  A área de TI é a menos propensa a acomodação. Demostrar-se curioso e estudioso faz o candidato ganhar muitos pontos! Com a dificuldade em encontrar profissionais que atendam a todos os requisitos, as empresas tendem a flexibilizar as exigências e o profissional tem de correr atrás de alguns itens depois, quando já está trabalhando na área.

  • Frequente eventos e fóruns virtuais de tech

Indicações são muito importantes no mundo tech, por isso, relacionamento é fundamental. Se você não conhece ninguém na área, que tal começar a frequentar eventos do setor – há opções abertas e gratuitas, como hackatons e palestras – e fóruns virtuais? Caso você tenha conhecidos que já atuem na área, chame a pessoa para um café para saber mais sobre o dia a dia da profissão e se colocar à disposição para vagas que possam surgir. Depois de contratado, mantenha sua rede de contatos sempre ativa e seja generoso: retribua o conhecimento que foi repassado a você. O networking não é importante somente para conquistar o emprego, pois a área de tecnologia vive de constantes parcerias. Às vezes, uma conversa informal com alguém conhecido pode gerar insights importantes para os negócios. Vale trocar figurinhas sempre!

  • Esteja pronto para uma entrevista via vídeo

Preparar-se para a entrevista por meio de pesquisas sobre a empresa e leitura de notícias sobre o setor é fundamental, mas, além disso, os candidatos devem prever também um fator cada vez mais comum: processos seletivos remotos, via videoconferência. Esse recurso tem sido cada vez mais usado por empresas de tecnologia, pois permite que lideranças de diversos países participem dos processos de contratação e também ajuda a selecionar profissionais para atuar em escritórios da empresa no exterior.

  • Moderação nas redes sociais

Brasileiros são usuários assíduos das redes sociais e adoram postar opiniões sobre temas polêmicos. Pois saiba que recrutadores têm acessado as redes para conhecer mais sobre os candidatos. Mantenha um perfil organizado, com informações claras e modere o que você deixa público.

  • Visual descolado? Nem sempre

Apesar de vermos alguns CEOs de empresas de tecnologia, como o Mark Zuckerberg do Facebook, vestindo roupas jeans e chinelo em apresentações, é importante não generalizar. Vejamos como o Bill Gates, CEO da Microsoft, se veste de maneira mais formal. É importante que o entrevistado se atente a isso e busque se vestir de maneira adequada ao perfil da empresa que visitará – sendo honesto, claro, com sua personalidade e estilo. E mesmo quando a entrevista é feita de maneira remota, por videoconferência, é importante que o profissional se vista bem e escolha um lugar com fundo neutro e sem bagunça para aparecer na câmera.

“Independentemente da vaga que você busca, conhecimento é a chave do sucesso. Busque aprimorar seu currículo sempre, procure informações online ou cursos formais, e informe-se antes de entrar em contato com as empresas para se candidatar. Na CA Technologies, estamos sempre abertos a diferentes perfis de profissionais, desde que se mostrem aptos a aprender”, conclui Silvio Trindade.

Foto:pixabay