Carreira

10 dicas para ter um currículo atraente

Layout e resumo são dois pontos importantes para quem deseja uma nova oportunidade no mercado de trabalho

Começo do ano chega e com ele a esperança de milhões de brasileiros na busca por um emprego. Após um longo período de recessão, a expectativa é que em 2020 o mercado de trabalho inicie uma retomada, puxada por setores como construção civil e comércio. Tudo isso se deve ao crescimento da economia, já que a aposta do Banco Central é que o PIB alcance 2,2% esse ano.

Visando esse cenário, Roberta Valezio, People Experience Manager da WAVY Global , empresa de customer experience do Grupo Movile, aponta 10 dicas que podem ajudar o candidato nas etapas da produção do currículo. Para a especialista, ter um currículo objetivo e atualizado aumenta muito as chances na recolocação do profissional.

“Os currículos funcionam como uma etapa eliminatória quando avaliados, guiam entrevistas, e podem ser ferramentas poderosas de marketing pessoal. Se bem elaborados, podem ser um passaporte para próximas etapas no processo seletivo. Caso contrário, são capazes até de eliminar a pessoa pretende à vaga”, afirma Roberta.

Veja abaixo as dicas:

  • Crie uma parte de “Interesses” – O ideal é que seja no canto esquerdo, logo abaixo dos dados ou no fim da página. Elenque os assuntos que você gosta, isso irá ajudar a chamar atenção. Há infinitas possibilidades que combinadas de modos diferentes podem dizer muito mais sobre o que você tem como objetivo e o que pode agregar para a empresa.
  • Resumo – Aqui, em duas ou três frases, explique que profissional você é. Começo, meio e fim linkando sua formação e experiências com o que busca hoje. Mas, não é obrigatório, especialmente se você tiver uma parte de Interesses, Habilidades/Competências. Entretanto, caso goste de apresentá-la, garanta que seja curta e que amarre com o seu momento atual.
  • Formação + Experiências Profissionais – Essa parte é obrigatória para os processos tradicionais. O que você fez/estudou das experiências mais recentes para as mais antigas. Apresentando o que fez, quando fez, e onde fez.
  • “Competências e habilidades” – Compor grandes blocos como “Idiomas” e “Informática” não é uma boa estratégia. Abrir um item de ferramentas e contar quais programas sabe utilizar, sempre acompanhado do seu nível atual é o ideal. Para idiomas, se sua naturalidade é brasileira, não precisa colocar que fala português.

Há muitas competências comportamentais e técnicas (soft ou hard skills), que podem ser exploradas vale serem elencadas.

  • Outras Experiências – Trabalhou no negócio da família, fez um trabalho não remunerado, teve uma experiência extracurricular ou de vida diferentona que te ensinou muita coisa? Coloque, sim! Cada trajetória é única, saiba como valorizar seus diferenciais mesmo quando não óbvios.
  • Tamanho é documento – O melhor dos mundos, a menos que sua experiência seja realmente muito extensa e intensa, é optar por uma página. Sucinto e visual! O grande problema de currículos imensos é que muito provavelmente o avaliador não vai ler tudo, e vai conseguir explorar somente uma das páginas durante a entrevista. Faça um esforço para que seja conciso.
  • Layout – Não carregue o corpo e todos os títulos com mais tamanho, negrito, itálico e sublinhado. Fica feio e poluído. Escolha no máximo dois, coloque o conteúdo com alinhamento e defina uma fonte única para todo o arquivo. Um título pode ser combinado com uma fonte dois números maior, ou palavras em caixas altas combinadas com o uso do negrito ou do sublinhado.
  • Como imprimir – Não é necessário que seja colorido. Salvo em casos de algo com alguma cor sólida de fundo ou decorando uma parte. Chama a atenção receber um CV com um papel de gramatura mais alta e uma impressão bacana. No entanto, certamente, isso não é necessário, não será eliminatório, mas se bem explorado, pode sim ser um diferencial.
  • Formatos digitais – Na hora de salvar, opte sempre pelo formato pdf ao invés de doc ou ppt. E nada de nomes como “versão 3”, “Curriculum Vitae”, “Fulaninho de Tal 2”. Use CV+seu nome para intitular o arquivo, vai mostrar um senso de organização e vai facilitar a gestão de quem o recebe.
  • Fase Final – Agora é só revisar e fazer pequenas adaptações ao mandar para diferentes empresas – talvez uma experiência seja mais valorizada em um lugar e mereça maior ênfase e destaque, em outros casos, talvez você precise dar outra cara ao seu Resumo, Objetivo ou dar uma mudada na parte de Competências e Habilidades ou na de Interesses, dependendo da oportunidade que a empresa está buscando, fique atento(a) e boa sorte!

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar