SaúdeSegurança do trabalho

5 doenças ocupacionais mais comuns que levam ao afastamento do trabalho

Especialista comenta que a maioria dessas condições pode ser evitada e controlada

As doenças ocupacionais são adquiridas ou desencadeadas pelo exercício decorrente da atividade do trabalho, ou seja, são doenças que estão diretamente ligadas ao desempenho de uma determinada função. Essas doenças podem ocasionar até em afastamento do trabalho e uma das principais razões para o desenvolvimento desses adoecimentos são altos níveis de estresse, cobrança e espaços inadequados para trabalho – seja ele remoto ou não -.

O Dr. José Carlos de Rezende, especialista em Medicina do Trabalho e idealizador da startup Cuida Mais lista cada uma dessas doenças e explica como essa condição pode ser evitada “A prevenção se dá quando quando de fato, existe acompanhamento médico, estudando quais são as doenças laborais mais frequentes dentro da empresa, e para cada colaborador existe um diagnóstico.

Existem várias maneiras de prevenir as doenças ocupacionais, como: ações que possam minimizar essas patologias, palestras, e por incrível que pareça com muito ensinamento teórico. Com a medicina preventiva podemos alcançar outros níveis de proteção, como: promoção de saúde, proteção especifica, limitação do dano, diagnóstico e tratamento precoce. E na prática, juntamente com as análises existem os exercícios físicos e a dieta saudável. ” Comenta o Dr.

  1. Depressão e estresse

A depressão é uma doença psiquiátrica crônica, com certeza o ambiente de trabalho propicia o desenvolvimento da doença por diversos fatores externos, como por exemplo: falta de valorização, cobranças constantes, aumento do estresse, situações negativas e péssimas condições de trabalho. Os sintomas da doença também são variados como: sentimentos de desesperança, pessimismo, irritabilidade, sentimento de culpa, inutilidade ou desamparo, diminuição de energia, perde de interesse, humor triste. Esse transtorno atinge pessoas de qualquer idade e é uma das principais causas de incapacitação profissional.

  1. Síndrome de Burnout

Ou síndrome do esgotamento, é um distúrbio psíquico muitas vezes provocados por condições de trabalho desgastantes que reflete em atitudes negativas, como: agressividade, mudanças de humor, ausência no trabalho, dificuldade de concentração, insônia e outros. Seu diagnostico leva em conta sua história pessoal, seu envolvimento e realização no trabalho. Para prevenção é fundamental que o colaborador descanse, mantenha sua vida social ativa, faça exercícios físicos regulares e conviva em um ambiente de trabalho saudável e que tenha programas de valorização profissional.

  1. Dor nas costas

Uma das doenças ocupacionais mais comuns é também a que mais causa afastamentos do trabalho nos últimos dez anos, segundo o INSS (Instituto Nacional Seguro Social). Esse problema pode ser solucionado com cadeiras confortáveis e próprias para o trabalho, também é importante informar e educar os colaboradores sobre ergonomia, ensinando posições corretas e exercícios para as dores. E também com ações dentro da empresa, como aulas laborais de ginástica e massagem.

  1. LER – Lesão Por Esforços Repetitivos

A lesão por esforços repetitivos tem como queixa maior a dor na articulação, fraqueza, formigamento, rigidez e inchaço nos membros superiores e inferiores. O problema é causado por esforços repetidos continuadamente, os profissionais mais expostos a doença são músicos, motoristas, atendentes de telemarketing, atletas e outros. Para o tratamento é necessária uma avaliação multidisciplinar e tentar evitar as atividades repetidas continuadamente, faça algumas pausas.

  1. Problemas de Visão

É muito importante o cuidado também com a saúde visual, principalmente para trabalhos que envolvam tecnologias ou que ficam expostos à altas temperaturas, pois o calor excessivo danifica o cristalino, região afetada pela catarata. Profissionais expostos a produtos químicos também devem redobrar o cuidado com o uso de EPIs – Equipamentos de Proteção Individual – e manter os exames sempre em dia.

Para o Dr. José Carlos de Rezende, a medicina preventiva dentro das empresas é extremamente importante a fim de evitar doenças, e até mesmo o afastamento do trabalho. Diante deste cenário, muitas companhias já estão se preparando para encontrar alternativas acessíveis para cuidar do bem-estar de seus colaboradores. No Rio de Janeiro, por exemplo, algumas optaram pelo modelo de medicina corporativa ofertado pela Cuida Mais, startup fundada em 2017, que oferece atendimento de qualidade e preventivo por um custo acessível.

“Desde o início do nosso projeto, temos notado que as empresas têm essa necessidade de oferecer um bom atendimento para seus colaboradores, por um custo acessível. Hoje sabemos que algumas instituições gastam entre 12% e 20% de suas verbas com planos de saúde, o que, para muitas companhias, pode representar um grande déficit econômico. Vale ressaltar que, por vezes, o investimento é realizado de maneira errada, não resolvendo, de fato, as necessidades de saúde. Os altos preços, aliás, restringem o acesso de milhões de brasileiros a consultas médicas e exames”, explica.

Botão Voltar ao topo