BenefíciosColunistaSaúdeSegurança do trabalho
Tendência

A importância da Telemedicina em tempos de pandemia

A Telemedicina não pode ser encarada como a única solução de saúde

A Telemedicina ganhou maior exposição com a pandemia de covid-19 em função do risco de transmissão da doença e ela tem sido uma excepcional solução para evitar a exposição desnecessária ao covid-19 das pessoas que iriam ao pronto socorro ou hospital, muitas vezes por motivos simples, de uma forma muito eficaz.

A BenCorp se preparou de forma rápida e eficiente no início da pandemia, por já participar dos Comitês de Crises das empresas parcerias, como Magalu, Brinks, Vigor e tantos outros, e viu a necessidade de uma solução rápida, remota e que não expusesse os colaboradores e familiares em hospitais e prontos-socorros, já que atende mais de meio milhão de vidas por todo Brasil.

Montamos uma estrutura própria na BenCorp e passados três meses de pandemia, chegamos a 10.000 consultas realizadas incluindo Telemedicina e Telepsicologia e através de equipe de 12 médicos de várias especialidades composta por neurologistas, dermatologistas, cardiologistas, além dos clínicos que dão uma atenção primária, temos também um cirurgião para dar um suporte quando tiver uma demanda específica.  Nosso NPS médio é de 96% de avaliação ótima e boa nos quesitos acessibilidade, agilidade e qualidade no atendimento.

Na BenCorp há um olhar mais amplo de saúde, porque numa situação de pandemia temos de nos preocupar tanto com a saúde física quanto com a mental e o acesso à distância permite um primeiro contato, uma visão mais completa do indivíduo e das suas necessidades.

A Telemedicina tem limitações para alguns diagnósticos e exames presenciais, como por exemplo, a Oftalmologia: como o profissional vai determinar o grau de um óculo ou fazer um exame de fundo de olho? Ou no caso da Ginecologia, não há como fazer um Papanicolau, mas, há como indicar que se faça o exame. Acredito que ela seja muito boa para um país do tamanho do Brasil, pobre, onde os médicos estão concentrados e tenho certeza de que veio para ficar tanto na rede pública e privada. Não acho que seja a solução de todos os problemas, mas ela é bastante eficaz num diagnóstico inicial e no atendimento primário a doentes crônicos, como os diabéticos, hipertensos e gestantes, que não precisam ir ao hospital com frequência, mas necessitam de acompanhamento.

Como tudo, devemos evitar os exageros e a Telemedicina não pode ser encarada como a única solução de saúde, mas é um método complementar e que certamente vai promover o acesso à saúde a milhões de brasileiros, então, ela é uma conquista muito importante dada a dificuldade do sistema de saúde brasileiro, o que é conhecimento de todos.

Por Luis Alexandre Chicani, fundador e CEO da BenCorp Benefícios & Saúde Ocupacional


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo