Gestão

A pesquisa de clima organizacional como ferramenta por maior produtividade

Já não é novidade nos setores de RH que a produtividade está diretamente ligada ao bem-estar de seus colaboradores

É uma relação de ganha-ganha, já que, para a empresa, as ações retornam em produtividade e retenção de talentos e, para os profissionais, resultam em maior satisfação profissional e qualidade de vida, além de um quadro de convivência mais agradável para a equipe.

Seguindo essa tendência, as empresas buscam maneiras de ouvir o colaborador e implantar mudanças pela construção desse relacionamento. Entre as estratégias utilizadas para isso, a que mais vem ganhando força dentro das organizações é a Pesquisa de Clima Organizacional.

A ferramenta é voltada à análise do ambiente interno da empresa e serve como base para a tomada de decisões, na medida em que analisa a percepção coletiva que as pessoas têm da corporação. Ela possibilita identificar possíveis vulnerabilidades no modelo de gestão de pessoas, permitindo a análise de aspectos como satisfação, compromisso, atitudes, produtividade e motivação dos colaboradores. Com esse diagnóstico, a organização se volta, então, a desenvolver um plano de ação pela implantação das melhorias.

A multinacional Gedore, com sede em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, realizou a pesquisa em março e, agora, trabalha no plano de ação. “Um dos grandes desafios das empresas hoje é a manutenção de um ambiente potencializador das capacidades individuais de cada colaborador, e essa pesquisa serve como instrumento inicial para esta construção”, explica Patrícia Misturini, coordenadora de RH da Gedore.

Patrícia Misturini, coordenadora de RH da Gedore
Patrícia Misturini, coordenadora de RH da Gedore

De acordo com a gestora, com a aplicação do método a confiança na empresa também tende a elevar de forma considerável, já que o profissional ganha voz e representatividade. Ela alerta, porém, que se nada for produzido a partir dos resultados obtidos, a pesquisa terá efeito inverso. “Antes de a empresa decidir fazer uma pesquisa, precisa analisar qual a real intenção de empreender as ações corretivas necessárias. Caso essas mudanças não sejam viáveis, como, por exemplo, um aumento salarial, o ideal é explicar as razões de forma clara e transparente”, orienta.

Botão Voltar ao topo