Dica de leitura

Aprenda a aceitar o caos e transforme sua vida

Suryavan Solar defende o caos como catalisador de  transformações e libertação para os seres humanos

Aprenda a aceitar o caos e transforme sua vida A greve dos caminhoneiros, que parou o Brasil por quase duas semanas, pegou muita gente de surpresa. Enquanto acompanhávamos os noticiários a respeito de negociações, falta de combustível e dificuldade em abastecer mercados, feiras e sacolões, víamos incrédulos, pessoas se estapearem nas filas de postos de gasolina e estocarem alimentos.

Do outro lado, acompanhamos o grupo de pessoas que apenas manteve a calma e se adaptou: fez home office, tirou a bicicleta da garagem, usou o transporte público e acabou descobrindo que, sim, é possível fazer diferente sempre, basta não se desesperar e se adaptar.

As crises e os pontos de ruptura são inevitáveis em nossas vidas, eles fazem parte do caminho para a transformação e evolução, tanto individual quanto coletiva. E embora muitas vezes tais mudanças desorganizem e gerem caos, sempre é possível aprender e crescer com elas.

Quem defende o caos como catalisador de mudanças é Suryavan Solar, fundador da Organização Cóndor Blanco Internacional e especialista em naturismo, liderança, coaching e meditação. Em seu mais recente livro intitulado “As quatro chaves para a realização ilimitada – como usar as tecnologias ancestrais para ser feliz, próspero, cultivar a cultura e a liberdade mesmo quando o mundo parece um caos”, Suryavan resgata o valor do caos a partir da perspectiva da cosmologia antiga, que o considera uma porta para o nascimento de uma nova vida.

Para o coach, crises e pontos de ruptura são inevitáveis e levam a transformação e evolução, não apenas individual, mas também coletiva. “Para isso necessitamos deixar de nos anestesiar, nos congelar, nos esconder ou escapar diante da realidade e deixar de resistir à mudança. Aceitar as crises e os desafios como são nos transfor­ma em guerreiros audazes e somos recompensados por isso”, defendo.

Neste resgate do conceito de caos, Suryavan afirma que uma crise nada mais é que o acúmulo de energia muito potente, que necessita ser canalizada de forma criativa e construtiva. “Se exercemos resistência ou tentamos bloquear a potente energia expansiva que ocasiona as crises, sua força se polariza tra­zendo consequências violentas e destrutivas, porque a única coisa que está buscando essa força indômita é sua liberação criativa”, explica.

Infelizmente, nos dias de hoje, as pessoas tentam evitar as crises a qualquer preço e, de fato, Suryavan diz que pode parecer mais fácil andar pela vida sorrindo falsamente e apa­rentando que “tudo está bem”, enquanto os incômodos e as tensões internas se acumulam debaixo do tapete. “Porém, todo conflito psicológico ignorado não passará despercebido porque cedo ou tarde gritará em forma de doenças ou calamidades. É muito mais saudável aprender a tomar consciência e ela­borar os pequenos conflitos quando estes se apresentarem em vez de esperar que se acumulem de forma demolidora”.

Uma vez que aprendemos a aceitar e se tomamos consciência da realidade, Suryavan explica que estamos prontos para desenvolver uma perspectiva otimista perante as crises. Aprender a olhar com bons olhos os momentos caóticos e críticos pelos quais passamos não é tarefa fácil. É necessário deixar de lado rótulos negativos que usualmente são associados a esse período, como fracasso, catástrofe, negatividade, obscuri­dade, maldição, entre outras. “Em vez de contemplar esses pro­cessos como caminhos através da degradação podemos aprender a vê-los como fontes vibrantes de criatividade, oportunidades para redesenhar nossos sonhos e renascer. Basta abrir-se para isso”.

 


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios