Diversidade

Belgo Bekaert cria gerência dedicada à Diversidade e Inclusão

A iniciativa reforça o propósito da empresa de criar uma vida melhor para todas as pessoas

Líder brasileira na transformação de arames de aço, a Belgo Bekaert deu mais um passo na construção de uma empresa mais diversa e inclusiva, criando uma gerência dedicada ao tema. A criação de uma área específica – a Gerência de Diversidade, Inclusão e Responsabilidade Social – vem como resultado do trabalho realizado até então por grupos voluntários de empregados, que desde 2019 desenvolvem estratégias e ações voltadas para modificar o ambiente de trabalho na Belgo Bekaert.

A nova área será liderada por Luciana Macedo, executiva que já atuava como coordenadora do Comitê de Diversidade e Inclusão da empresa. “Precisamos ter um olhar a mais para o próximo, nos descontruir, furar nossas bolhas e ter um ambiente mais diverso e inclusivo. A formalização de uma gerência reforça a crença da empresa na diversidade como essencial para uma sociedade mais justa e como potencializadora da inovação nos negócios, trazendo novos olhares e novos resultados”, explica Luciana Macedo. Oriunda da área de importação e logística da empresa, ela aceita o desafio após se engajar com o tema. “É uma mudança de foco na minha carreira, numa oportunidade única de contribuir ainda mais com a sociedade”, afirma.

Além dos atuais pilares de atuação (Equidade de Gênero, Pessoas com Deficiência e Migrantes em Vulnerabilidade), a gerência amplia o desafio da empresa e abre outras frentes de trabalho para 2021: Igualdade Racial, LGBTI+ e Gerações.

Romper com o machismo, racismo, homofobia, etarismo e outros padrões que estão enraizados na sociedade foram elencados pela gerência como o primeiro passo para engajar todos os empregados. “Estudos internacionais afirmam que uma corporação precisa de pelo menos 30% de seu quadro engajado no tema para que a iniciativa se sustente”, avalia Luciana Macedo.

Em 2020, mesmo com as medidas de proteção e o trabalho home office, impostos pela pandemia do coronavírus, os grupos de trabalho da Belgo não pararam. No pilar que focou em migrantes e refugiados em situação de vulnerabilidade, o resultado já são 28 empregados oriundos da Venezuela e do Haiti, graças a parcerias com instituições apoiadoras da causa. Já no pilar Equidade de Gênero, a Belgo Bekaert assumiu este ano o compromisso de aumentar em 10% os cargos de liderança ocupados por mulheres em um prazo de 3 anos e elevar em 30% o número de empregadas até 2030 em toda a empresa.

Botão Voltar ao topo