Treinamento

Cinco dicas para capacitar sua equipe sem comprometer o orçamento da empresa

Encontrar o equilíbrio entre os recursos disponíveis e as necessidades de desenvolvimento pode potencializar os resultados do seu negócio

Parte fundamental para o crescimento de uma empresa, os treinamentos corporativos são essenciais para a evolução de um negócio. Muitas vezes, são eles que separam “bons negócios” de empresas reconhecidas pelo mercado como excelentes. Nesse sentido, investir na capacitação da equipe pode gerar inúmeros benefícios, como aumento na produtividade, reduções nos erros, na rotatividade de funcionários e no tempo de produção, aumento da qualidade dos produtos/serviços, apoio na credibilidade de uma marca em relação ao mercado, entre vários outros.

Porém, diante de um orçamento limitado surge o desafio: como capacitar os colaboradores com qualidade utilizando o mínimo de recursos possível?

Se essa é a sua situação, eu preparei 5 dicas para você investir no desenvolvimento das pessoas da sua empresa e conseguir mais resultados com poucos recursos financeiros.

Confira abaixo:

 

 1 – Descubra os Gaps de conhecimento e capacite onde for necessário

Uma alternativa simples que pode ser utilizada para ajudar a “enxergar” as necessidades de capacitação de cada pessoa, é utilizar formulários online. Você pode enviar perguntas relacionadas às principais competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) necessárias para o sucesso da empresa e ver como cada pessoa avalia suas próprias capacidades e entregas. Esse método não é a prova de falhas, mas ele ajuda o RH a ter no mínimo uma melhor visão do que as pessoas acham que precisam aprender. Se você tiver tempo e conseguir o apoio dos supervisores ou pares dessas pessoas, eles também podem fazer uma rápida avaliação de cada um. Dessa forma, você consegue com um investimento muito pequeno ter visão das necessidades de desenvolvimento da equipe, e com isso pode planejar ações usando as dicas seguintes. Dica: Para quem quer criar formulários de forma econômica, uma opção é utilizar o Google Forms. Ele é gratuito. Além dele, existem outras ferramentas com funções similares na Internet.

2-   Crie Manuais

 É incrível a quantidade de tempo que as pessoas passam andando ou procurando informações sobre o que precisam fazer. Ao centralizar todas as informações em um documento, você cria um manual que pode ser consultado toda vez que uma pessoa tiver dúvidas sobre um procedimento. Você também pode ir anotando as dúvidas que ainda não estão respondidas no manual e ir ampliando suas informações. Essa simples organização, pode, por exemplo, evitar vários minutos de caminhada ou tempo “perdido” procurando informações em outros setores e, às vezes, dentro do próprio computador.

Se quiser ter uma ideia de quanto tempo em média é “desperdiçado”, utilize a seguinte referência: se uma pessoa levantar da sua mesa 2 vezes por dia para ir até uma outra área e caminhar apenas 2 minutos para ir e 2 minutos para voltar, podemos considerar que essa pessoa “desperdiça” entre 15 e 20 minutos por dia. Estamos falando de aproximadamente 4 horas no mês. Multiplique isso pelo número de colaboradores e encontre um número assustadoramente grande!

 

 3- Utilize talentos internos

Você já percebeu que algumas pessoas são mais procuradas para dúvidas e esclarecimentos do que outras? Quem são as pessoas mais procuradas em sua equipe? Em quais assuntos elas são requisitadas? São vários os motivos que fazem com que alguém seja demandado com frequência, mas muitas vezes isso ocorre porque eles têm algum conhecimento que falta para as outras pessoas. Descobrir quem são essas pessoas e porque são tão procuradas pode ajudar a entender melhor os gaps de conhecimento da equipe e a ter ações para multiplicar esse conhecimento.

Por exemplo: Caso você tenha alguém que seja excelente em vendas, por que não multiplicar esse conhecimento para mais colaboradores da empresa por meio de um treinamento com essa pessoa como facilitador?

Compartilhar esse tipo de conhecimento com outros funcionários tende a contribuir com a produtividade, além de aumentar o engajamento entre o colaborador e empresa e também reduzir o investimento em um dos principais fatores nos treinamentos, que é a contratação de facilitadores.

  

4-     Utilize a tecnologia

Quando o treinamento é realizado em outro local, junto com o deslocamento aparecem também diversos outros custos, como transporte, alimentação, hospedagem etc. A tecnologia pode ajudar você a driblar esse problema. Você pode utilizar o próprio smartphone para gravar um treinamento. Depois disso, pode disponibilizar esse conteúdo por meio de uma plataforma de gestão da aprendizagem, como a nossa plataforma que impulsiona resultados por meio da aprendizagem. Começamos atuando com empresas do interior de São Paulo que tinham unidades em vários locais do país e muitos processos para capacitar, e hoje nossa plataforma é utilizada por empresas de todo o Brasil e também por suas unidades no exterior, o que mostra como a tecnologia pode ajudar a capacitar pessoas e reduzir distâncias (e custos com treinamentos). A vantagem desse tipo de recurso é que ele permite que o colaborador estude o conteúdo de um treinamento no lugar e momento em que preferir. Ele pode fazer isso, inclusive, de casa, caso ele queira (e a empresa permita). Além disso, evita momentos de distração e ainda existe a possibilidade de voltar para uma parte que já passou e ele não compreendeu. Ter soluções mais compatíveis com o século XXI pode ser uma alternativa para potencializar o seu negócio.

 5-    Coloque em prática (e melhore o processo) até dar certo

Trabalhe as capacitações da sua empresa como um processo PDCA (Planejar, Fazer, Verificar e Agir) e evolua sempre a capacidade da sua equipe e as entregas que ela faz. O movimento precisa ser constante. Seja para relembrar aquilo que já foi aprendido, como também para realizar a capacitação para novos problemas e soluções. Os diagnósticos (dica 1) e as capacitações devem ser periódicas. Implantar essa rotina é crucial para a real criação de uma cultura de aprendizagem que pode produzir resultados expressivos para a sua organização.

Por Rafael Sanchez, professor e fundador da Scaffold Education

Veja também:

Como os gestores de pessoas devem estar preparados para ajudar seus colaboradores construírem um propósito em suas carreiras. Ouça agora: http://bit.ly/2Ii8bV3

O home office não precisa estar expresso no contrato de trabalho, podendo ser previsto apenas em políticas corporativas, por exemplo. Saiba mais: http://bit.ly/2VwNNat

Com a entrada em vigor da LGPD, o conceito de gestão de documentos está mais uma vez evoluindo. Leia o artigo: http://bit.ly/2I78xh3

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar