Comportamento

Cinco técnicas para ser mais produtivo no trabalho

Confira cinco sugestões de Lucas Mendes, cofundador da Revelo

Manter um alto nível de produtividade no trabalho geralmente é uma tarefa difícil. Muitos fatores podem levar a um fluxo ineficiente, desde a falta de priorização nas tarefas às distrações no ambiente empresarial.

Se você está com problemas para manter a rotina de produção, a boa notícia é que há diversas técnicas que podem ajudar nesse desafio. Confira abaixo cinco sugestões de Lucas Mendes, cofundador da Revelo, para ser mais produtivo no trabalho.

  1. Pomodoro

A técnica Pomodoro é uma das mais tradicionais no quesito produtividade. A ideia é trabalhar por ciclos, cronometrando o tempo. Essa proposta consiste em trabalhar por 25 minutos sem interrupções e, quando esse período for completado, descansar por cinco minutos.

Esse ciclo deve ser feito por quatro vezes. Então, o tempo de descanso se torna mais longo, variando entre 15 e 20 minutos. Feito isso, os ciclos podem ser recomeçados. Mas lembre-se: é crucial manter-se focado durante os períodos de atividade para que a técnica funcione.

  1. GTD – Getting Things Done

Criada pelo norte-americano David Allen, o método GTD significa, na tradução do inglês, “fazer as coisas acontecerem”. Ela é detalhada no livro de Allen, “A arte de fazer acontecer”. Resumindo, trata-se de uma técnica que divide o processo de trabalho em cinco passos:

– Capturar: registre as atividades do dia em algum local, como agenda, papel ou gerenciador de tarefas;

– Esclarecer: analise quais tarefas anotadas necessitam de ação e quais devem ser priorizadas;

– Organizar: faça uma lista de tarefas, definindo as prioridades do dia para criar seu roteiro de trabalho;

– Refletir: é o momento para rever o roteiro estabelecido, analisando se as prioridades estão corretas e se todas as tarefas estão registradas;

– Engajar: é hora de trabalhar. A vantagem é ter a tranquilidade de saber que você está fazendo a coisa certa, mantendo o controle da produção.

  1. Lei de Parkinson

Se você trabalha bem sob pressão, a Lei de Parkinson pode ser interessante para você. Geralmente, nossa capacidade de concentração é maior quando precisamos entregar uma tarefa com prazo bem definido, certo?

Pois a técnica consiste justamente em estipular limites para si mesmo, colocando prazos mais curtos do que realmente são exigidos de você pela empresa. É preciso ter disciplina, mas quem coloca essa lei em prática aumenta a produtividade e elimina a procrastinação.

  1. Kanban

A técnica Kanban utiliza o modelo de gestão visual das atividades. Nesse caso, a lista de tarefas é dividida em três seções: itens que devem ser feitos, itens nos quais você está trabalhando no momento e itens finalizados. A cada vez que uma atividade é completada, você consegue rever seu fluxo de trabalho.

Referências visuais são a chave desse processo. Você pode utilizar murais com post-its de cores e tamanhos distintos ou até mesmo adaptar esse sistema nos gerenciadores de tarefas online.

  1. Sprints

A sprint, um dos alicerces de produtividade da Google, é um atalho muito poderoso para a produtividade no trabalho. E não apenas em times de desenvolvimento de sofrware. Esse termo se refere à divisão do trabalho e dos projetos em pedaços ou tarefas bem definidos, com processos, entregas e ações configurados para elevar ao máximo a eficiência da equipe.

Em uma sprint, você pode programar a entrega de um novo recurso para um software, a atualização de um código importante no backend ou a remodelação da interface de um aplicativo, por exemplo.

Ao longo do sprint, portanto, não há desvio de foco nem eventos externos que atrapalham a concentração em prol de um objetivo. Dessa forma, quando você faz parte de um esforço comum com uma meta bem definida, fica bem mais fácil e rápido atingir o resultado almejado no menor tempo possível.

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios