Carreira

Como conseguir o emprego dos sonhos

Trabalhando alguns pontos você estará mais próximo de colher resultados em alta performance nessa busca por um novo emprego

Boas vagas de emprego estão muito escassas nos dias de hoje, encontrar oportunidades realmente diferenciadas não é nada simples, o que já era complicado, por conta da pandemia mundial de coronavirus, ficou ainda mais difícil.  Portanto, trabalhar a sua empregabilidade e estar pronto para quando a oportunidade chegar é o caminho mais eficaz para a conquista de uma recolocação.

Trabalhando alguns pontos você estará mais próximo de colher resultados em alta performance nessa busca por um novo emprego. Então a primeira coisa a ser feita é manter sua rede de relacionamentos ativa, ou seja, não se distanciar das pessoas que trabalharam com você, que conhecem os seus resultados profissionais e que podem validar sua contratação para as empresas onde hoje se encontram, não há arma mais poderosa de que uma boa indicação profissional.

Aproveite a leitura e conheça as empresas que estão com vagas

Algo que também faz toda a diferença para ser capturado por recrutadores e headhunters é construir e manter uma marca profissional, ou seja, tornar-se referência para as empresas como “o cara” no que faz. Muitos executivos já começaram a entender a necessidade de ter uma marca, principalmente na internet, e se utilizam de um serviço chamado Personal Branding, quando se está em um ponto da carreira o qual já passou do meio do organograma empresarial para cima.  Além do nível de competitividade pelos melhores postos de trabalho aumentar bastante, as vagas de emprego neste patamar não ficam mais visíveis em sites de emprego populares, o que requer uma estratégia a qual eu chamo de “ao invés de caçar as borboletas, preparar o jardim para que elas o visitem”, com uma marca pessoal você consegue levar os recrutadores das melhores vagas de emprego até você.

Sua maior arma de prospecção será sempre o seu currículo, este precisa ser customizado às necessidades de cada processo seletivo e não pode ser um material genérico ou pré-pronto para ser enviado a todas as vagas como se fosse um panfleto, é preciso deixar de preguiça e analisar cada oportunidade como uma necessidade da empresa em solucionar um problema interno, tentando mostrar para o recrutador através de seus resultados obtidos em postos de trabalho anteriores, como conduziu a solução para este tipo de situação. Essa prospecção customizada é pouco realizada por candidatos que, na maior parte das vezes, encaminham o seu currículo que já se encontra montado. É por isso que os sites de emprego, que ainda são uma fonte importante de vagas e que por enquanto ainda devem ser considerados no processo de busca por recolocação, vem perdendo espaço junto os profissionais de RH, pois apresentam soluções engessadas e dificultam uma análise rápida e assertiva.

O LinkedIn é outra ferramenta que não pode ser deixada de lado, se você não acredita no potencial desta rede social para se recolocar está totalmente ultrapassado e deixando o maior número de vagas de emprego do mercado de lado. O Brasil é o quinto país do mundo em usuários da rede, que cresce a cada dia e trazem inovação todos os anos. Ter um perfil campeão, um bom número de conexões com profissionais de recursos humanos e buscar conhecer técnicas de SEO, que nada mais são do que os mecanismos de busca do LinkedIn, também são dicas que vão fazer seus resultados subirem de patamar. Caso não tiver tempo para adentrar no conhecimento do assunto minha recomendação é que busque um “job hunter” ou uma empresa de assessoria de carreira para colaborar nesse passo a passo, mas jamais deixe isso de lado.

Entender que a busca por um novo emprego nos dias atuais é algo totalmente diferente do que anos atrás, e que você não terá o mesmo volume de entrevistas de emprego que antes conseguia também é um ponto que não pode ser ignorado. Por isso prepare-se para as seleções, prepare um roteiro de sua apresentação e treine antes, pois não terá uma segunda chance para causar uma boa primeira impressão, conheça um pouquinho de como entrar em uma negociação salarial e já fique pronto para esse momento, pois boa parte das vagas de emprego ou até a maiores partes deste serão disponibilizadas com salário a combinar.

Por Claudio Riccioppo, especialista em RH e CEO da Employability

Botão Voltar ao topo