Como delegar tarefas efetivamente?

Os OKRs também são bons porque eles permitirão que sua equipe delegue as tarefas entre a equipe

Delegar efetivamente é uma das chaves que você precisa aprender para levar a sua empresa ao sucesso. Ao longo do tempo aprendi na prática alguns pontos importantes que acho relevante serem compartilhados com quem também está em busca desse processo.

 

1) Escolha uma ferramenta para definir objetivos

 

Uma das questões que eu comecei a perceber enquanto delegava tarefas para meu time foi a falta de coordenação e foco. Isso começou a gerar uma ansiedade em todo o time que não tinha clareza no que os pares deles estavam trabalhando, nem mesmo entendiam o motivo daquele trabalho estar sendo realizado.

 

Uma das coisas que nós fizemos para resolver esse problema foi começar a trabalhar OKRs trimestrais, um método que permite que seu time defina como o trabalho que ele está desenvolvendo está conectado com toda estratégia da companhia.

 

A maneira como o processo será conduzido é perguntando a cada um dos subordinados diretos, com base na estratégia geral da empresa para definir:

 

  • 2 ou 3 objetivos para cada área;
  • Pelo menos 4 resultados-chave para cada objetivo

 

Objetivos sempre podem ser algo inspirador e amplo, no entanto, os principais resultados sempre precisam ser SMART (Specific, Measurable, Attainable, Relevant and Time based – em português, específico, mensurável, atingível, relevante e baseado no tempo). Assim, um exemplo poderia ser:

 

Objetivo 1: Melhorar a satisfação do cliente

Principais Resultados # 1: Implementar a metodologia NPS para medir a satisfação do cliente até o final do mês

Resultado-chave nº 2: atingir um NPS de +20

 

Os OKRs também são bons porque eles permitirão que sua equipe delegue as tarefas entre a equipe. Aliás, se é essa é uma ferramenta que você gosta, seria importante ler algum material adicional para entendê-la mais profundamente. Outra opção é procurar ferramentas de definição de objetivos. O MBO (gerenciamento por objetivos) é outra ferramenta muito popular. Trabalhar apenas com KPIs é algo que eu não recomendo, pois nem sempre permite que você veja o que realmente está acontecendo.

 

2) Não faça micro-gestão, seja parceiro

 

Algo que notei na minha experiência como um empreendedor extremamente ansioso, ambicioso e impaciente é que quando recebi o feedback de que precisava delegar mais, tornei-me um gerente ausente. Isto é, quando alguém me veio com um problema, eu comecei a ter atitudes como: “não me traga problemas, me traga soluções”.

 

Isso é uma coisa terrível de se fazer, pois você está literalmente desencorajando sua equipe a te avisar quando ela está perdida ou precisa de sua ajuda. No final do dia, seu trabalho como líder é orientar o seu time e apenas intervir quando eles pedirem ou você perceber que eles estão perdidos. Como resultado disso, passei a ser visto como um parceiro, sem deixar de fazer o gerenciamento.

Por Luca Cafici, CEO e co-fundador da InstaCarro, startup de compra e vendas de carros