Pesquisa

Como empresas e profissionais estão reagindo ao coronavírus

Alguns temas comuns nessas respostas foram comunicação transparente e tomadas de medidas efetivas para proteger a saúde das pessoas

Empresas e funcionários já estão respondendo ao surto de coronavírus que continua a se espalhar pelo mundo. Na plataforma Glassdoor, isso tem se refletido no surgimento de vagas específicas ligadas à doença e em publicações de funcionários de diferentes países comentando sobre como suas empresas estão lidando com a situação.

 

Mais vagas respondendo ao surto

 

Dezenas de ofertas de emprego para profissionais de saúde, cientistas e especialistas em dados para tratar de questões envolvendo o surto já estão surgindo na plataforma. Além dos profissionais de saúde, empresas também estão contratando especialistas em comunicação e consultores para abordar esse assunto com o público e outras partes interessadas.

 

Exemplos de vagas publicadas no Glassdoor:

 

 

 

Como os funcionários estão reagindo?

 

As avaliações postadas pelos profissionais no Glassdoor mencionando o surto relatam uma série de desafios que incluem a interrupção das operações de negócios, entrevistas canceladas e falta de políticas para trabalho remoto. Notavelmente, algumas avaliações citam sérias conseqüências econômicas, incluindo piores perspectivas de negócios ou cortes nos salários.

 

Veja a seguir trechos de avaliações postadas, traduzidas do inglês:

 

  • “Diminuição de viagens com coronavírus etc. acrescenta mais desafios”.
  • “Ela me disse que, devido ao surto de coronavírus, meu emprego só poderia começar em março”.
  • “Indústria e negócios vulneráveis ​​- foram atingidos pelo coronavírus em 2020 e imediatamente começaram a diminuir a equipe e a cortar salários em uma quantidade significativa”.
  • “Foram necessárias três semanas após o coronavírus para que os funcionários pudessem trabalhar em casa, porque a empresa é tão barata que nem sequer fornece laptops para as pessoas em situações de emergência”.
  • “Foi-me dito [pela] equipe que a entrevista foi cancelada devido ao surto de coronavírus, o que posso entender totalmente”.
  • “Coronavírus está causando medo de viajar [a trabalho].”
  • “… depende de fabricantes internacionais e todos sentimos o aperto quando ocorrem problemas de produção. Com o Coronavírus e o Brexit, isso pode se tornar ainda mais problemático – mas é algo que sem dúvida é sentido pela maioria das empresas no Reino Unido no momento.”
  • “Surto recente de coronavírus e nenhuma política de trabalho em casa ou flexibilidade. Colocando todos em risco, especialmente aqueles com crianças e idosos para cuidar”.

 

Por outro lado, vários funcionários elogiaram a resposta de suas empresas à crise. Alguns temas comuns nessas respostas foram comunicação transparente e tomadas de medidas efetivas para proteger a saúde das pessoas. Veja trechos abaixo, também traduzidos do inglês:

 

  • “Impressionado com a maneira como nossa empresa está lidando com a situação de surto de coronavírus. Eles são muito eficientes na tomada de todas as medidas necessárias para garantir a máxima segurança e precaução. Nós recebemos máscaras cirúrgicas, spray Dettol, luvas de vinil, lenços e a temperatura é medida 2 vezes ao dia. O RH também está acompanhando de perto aqueles que viajaram para qualquer lugar (não apenas para a China) durante esse período, assim como qualquer equipe que tenha entrado em contato próximo com alguém da China. Nosso médico conversou conosco para garantir que nossa empresa fará o melhor possível e tomará as medidas necessárias para manter os funcionários seguros. Sinto-me muito tranquilo de que a situação é levada tão a sério e está bem sob controle no lugar em que passo mais tempo do que em qualquer outro. “

 

  • “Recentemente, fiquei preocupado com meu salário e estabilidade no emprego com o surgimento do coronavírus na China, mas a escola agiu rapidamente e forneceu um cronograma online razoável, permitindo que eu continuasse a ensinar inglês através do meu computador. Todo o equipamento foi fornecido a mim e eles continuam a pagar meu salário total, então transformaram o que poderia ter sido uma experiência terrível para mim, em uma experiência muito positiva. ”

 

Além disso, os números envolvendo as perspectivas de negócios – conforme avaliadas pelos profissionais no Glassdoor – estão diminuindo para empresas e funcionários baseados nos países afetados, como China, Cingapura, Japão e Coreia do Sul. Embora o declínio até agora tenha sido modesto, esses dados são uma maneira interessante de entender quão confiantes as pessoas estão na capacidade de recuperação das empresas depois que o surto for contido.

 

“Estamos começando a ver evidências precoces da reação ao coronavírus no Glassdoor. Novos empregos estão sendo anunciados em agências de saúde, empresas e organizações internacionais que se preparam para responder ao surto. Além disso, os profissionais estão prestando muita atenção à resposta de seus empregadores e estão compartilhando seus pensamentos sobre o tema em suas avaliações na plataforma. Muitos relatam preocupações com interrupções em seus locais de trabalho e com as perspectivas para os negócios, enquanto outros elogiam suas empresas por uma comunicação transparente”, afirma Daniel Zhao, economista sênior do Glassdoor.

 

“Embora a trajetória global do surto de coronavírus seja uma grande incógnita, estaremos observando atentamente os dados do Glassdoor para obter mais evidências de como os funcionários e empresas estão reagindo”, completa.

 


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar