Artigo

Durma com ideias, acorde com atitudes!

Nosso objetivo é algo que podemos fazer sozinhos

Todo ano é a mesma coisa! Na metade de novembro a gente já começa a reclamar que o ano passou rápido, voou, “daqui a pouco é Natal” e a queixa mais comum de todas: “Planejei tanta coisa e acabei não fazendo nada”. Fazemos planos de ordem pessoal ou profissional como estudar inglês, fazer academia, buscar uma pós, casar, mudar de casa ou emprego, guardar dinheiro e basicamente a história se repete: a gente planeja muito e faz pouco. É frustrante.

Mas será que esta história não um final feliz? Parece que gente gosta de focar no que não funciona. Nossos objetivos são fixos e por conta disso, deixamos de prestar atenção no resto: no que deu certo, no que aconteceu, no que a gente foi capaz de fazer com o que tinha.  Se valorizarmos as ações realizadas – e foram muitas – o cenário muda e a gente conclui que tudo valeu a pena.

Não mudamos de casa, mas fizemos pequenas reformas que funcionaram muito bem; não começamos a estudar inglês, mas passamos a ler mais, o que conta como melhoria do nosso capital intelectual; não começamos a dieta, mas passamos a consumir alimentos mais saudáveis, o que já aponta para uma mudança de hábito. Não guardamos dinheiro, mas fizemos uma viagem que abriu nossa mente, coloriu nossa vida e nos proporcionou grandes memórias. Ora, no final, saímos no lucro!

Outra coisa que precisamos levar em conta é que tipo de suporte precisamos para conquistar os objetivos. Nem tudo depende (só) da gente. Nosso objetivo é algo que podemos fazer sozinhos, envolve investimento, tem prazo, precisa de sócio?  É preciso pedir ajuda e não há problema algum nisso. Se planejamos mudar de atividade, o que precisa ser feito?  Podemos conversar com nosso chefe, descobrir novos desafios, mudar de cidade, fazer um curso, conversar com um colega ou contratar um coach.  O suporte adequado na hora certa faz toda a diferença. Às vezes só precisamos de uma pequena mãozinha para atravessar o rio e ver um cenário muito mais legal.

Então, vamos fazer uma lista e vamos prometer honrá-la, fazendo apenas o que der, na medida do possível e dando o melhor de nós. E no final do próximo ano, vamos olhar com orgulho para as pequenas e valiosas ações que realizamos cada dia…Vai ser gratificante saber que a gente é muito mais capaz do que imaginava!

Feliz Natal e um excelente 2019 cheio de ideias para ser feliz!

Por Gladis Costa, profissional da área de marketing e comunicação, fundadora do grupo Mulheres de Negócios e autora do livro “O Homem que Entendia as Mulheres”

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios