É possível mudar uma empresa à beira do caos só com as pessoas?

Uma empresa à beira do caos, é possível recuperá-la?

Eu responderia que, na maioria, sim ! E, simplesmente com a valorização do empregado. Há alguns anos atrás eu começaria escrevendo, “Atualmente…”, mas esse tal de atualmente já está ultrapassado. Faz alguns anos que muitas empresas ainda vivem a beira do caos, baixa produtividade, chefe ao invés de líderes, promessas não cumpridas, falta de clareza e objetivos sem definição, metas intangíveis, cobranças infundadas, entre muitos outros problemas e esses são alguns fatores que podem diminuir o faturamento de uma empresa, levar o empregado ao limite do estresse, gerar afastamento por acidente de trabalho, aumentar o índice de absenteísmo ou presenteísmo e por fim, falir a empresa, um negócio que, muitas vezes, foi construído com muito suor e trabalho, desmorona-se aos poucos.

Esse é um cenário que existe, é real e gera desemprego, tanto pelo lado do empregador, insatisfeito como o empregado, como também por parte do empregado, que sem a devida valorização vai perdendo a vontade de trabalhar na empresa.

Instauraram-se no país um aglomerado de crises: políticas, sociais, fiscais, legais e sei lá mais o que, mas com certeza torna-se difícil abrir, manter uma empresa e principalmente, agregar valor e gerar lucro. A concorrência que já era difícil fica ainda pior e justamente nessa hora a empresa precisa de união, força, motivação, criatividade, engajamento, comprometimento, planejamento e liderança, não necessariamente nessa ordem, mas com certeza de tudo isso.

Utilizar novas técnicas e ferramentas para criar e manter talentos, que aqui menciono algumas: Gestão Estratégicas de Pessoas, GQVT (Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho), Coaching, Pesquisa de Clima, Avaliação de Desempenho, Feedback; enfim alinhar os objetivos da empresa com seus empregados, na finalidade de alcançar, juntos, resultados e se tudo “correr bem direitinho”, serão positivos. Fácil? não!!!!

Com certeza fácil não é, mas existem profissionais qualificados que poderão auxiliar. Não existe uma “receita de bolo”, mas vale lembrar que o mais importante nesse contexto todo são as pessoas, os indivíduos, os trabalhadores, denominados empregados das empresas. São eles que deverão ser motivados, engajados, qualificados para trabalhar em equipe, como uma máquina perfeita. Não basta capacitar o empregado em procedimentos de operação, precisa também motivá-los, são eles que trarão o resultado para empresa e somente com eles a empresa poderá ter o resultado positivo. As empresas têm mudado o seu perfil de “administrar”, tem apostado na qualidade de vida, no apoio, no social de seu funcionário, mas poderiam ser mais empresas que realmente aplicam, mensuram e acompanham os resultados das ações de valorização dos seus empregados.

Você, empregado, se a empresa faz algo por você, valorize, dê sua opinião, participe.

Você, empregador, valorize seu empregado, é ele que mantém as “engrenagens” da empresa funcionando, com certeza ele pode mudar o resultado da empresa.

Então, se a empresa está um caos, quer conquistar ou melhorar o seu lugar no mercado, vai precisar de uma boa equipe, motivada em alcançar um único objetivo, sendo assim, com a estratégia, motivação e as ferramentas certas, acredito que é possível recuperar uma empresa a beira do caos apenas com as pessoas!

Por Luís Fernando Limongi,  gerente de ti / coordenador de gestão de pessoas