Empreendedorismo, gestão, saúde e inovação marcam o 1º dia da HSM Expo

Stelleo Tolda, Pedro Parente, Robert Janett e JB Strubel conquistam a plateia

“É por meio do conhecimento que iremos vencer desafios como gestores e como humanidade”. Essa foi a afirmação feita por Stelleo Tolda, CEO e cofundador do Mercado Livre, ao iniciar a palestra “Como o Mercado Livre se tornou a maior plataforma de compra e venda online da América Latina” na HSM Expo 2017, que acontece entre os dias 6 e 8 de novembro de 2017.

Por meio do case de sucesso do Mercado Livre, hoje reconhecido e premiado internacionalmente, Tolda explicou que a vida de um empreendedor é um constante enfrentamento de riscos, sobretudo no ambiente online. “A internet conecta pessoas e colabora para a democratização do comércio. Os empreendedores dispostos a empreender encontram nela uma oportunidade de estar no mesmo universo que as grandes marcas”, disse o executivo.

Na visão do CEO, apesar de entraves como a falta de acesso à internet e à logística, o comércio eletrônico ainda oferece muitas possibilidades e mercados. “O e-commerce tem uma penetração de apenas 3% no Brasil, realidade muito parecida com a de outros países. Há muito espaço para investimento e expansão”, explicou.

Para Tolda, o sucesso no ambiente digital está ligado aos valores criados para o consumidor. “Não adianta focar apenas no ganho financeiro. É preciso pensar em proporcionar experiências únicas para o usuário”, sugeriu. Essa é a visão que trouxe o sucesso do Mercado Livre. “O trabalho em equipe e o objetivo comum também nos colocaram onde estamos”, completou.

Quando questionado sobre os planos futuros, Tolda foi taxativo em sinalizar que o futuro é de crescimento. “Tudo o que é vendido no mundo físico tem potencial para ser vendido também no virtual”.

Gestão

Pedro Parente, presidente da Petrobras, iniciou a palestra “A nova gestão da Petrobras”, na qual apresentou as mudanças pelas quais a gigante brasileira tem passado, com a afirmação de que independentemente do porte da companhia, um bom gestor precisa ter sempre em mente a atual posição da empresa e onde ela pode e quer chegar.

“Encontramos a Petrobrás imersa em dívidas e polêmicas que causaram danos não apenas à sua reputação, mas também ao orgulho de fazer parte de uma companhia como essa”, explicou. As mudanças realizadas durante a sua gestão compreendem maior preocupação com a segurança do trabalho e diminuição da alavancagem.

Outro ponto levado em conta nesse processo de transformação é a sociedade atual. “Há demanda por iniciativas de baixo carbono e outras alternativas, como o carro elétrico, e a empresa não pode ficar fora disso, temos que evoluir juntos e gerar valor”, sinalizou.

Sendo assim, a Petrobras reajustou missão e valores e, apesar de continuar sendo uma empresa integrada em energia, passou a focar o segmento de óleo e gás. “Vamos continuar trabalhando para melhorar a imagem dessa empresa, para que ela volte a ser motivo de orgulho para os brasileiros”.

Na sequência, o executivo foi sabatinado por Guilherme Soárez, CEO da HSM Educação Executiva. Durante a conversa, ele falou sobre sua trajetória na esfera pública e as polêmicas envolvendo a Petrobrás. “Nosso trabalho é mostrar que não se pode confundir os colaboradores e a história da companhia com corrupção feita por maus profissionais”, reforçou Parente.

Quando questionado sobre os planos para o futuro, o presidente da Petrobrás destacou o foco em óleo e gás, deixando claro que ainda não se sabe qual será o futuro desse segmento. “Conhecemos os desafios que as companhias desse setor enfrentam e estamos trabalhando para acompanhar o que há de mais novo, como as energias renováveis”, pontuou.

Saúde

Em um momento dedicado à parceria com o Hospital Sírio Libanês, o Dr. Robert Janett, médico americano e professor da Harvard Medical School, falou sobre os benefícios da atenção primária com a saúde, criando comparações entre os sistemas de saúde brasileiro e americano, discutindo gestão, confiabilidade e custos.

Com a compreensão de que os sistemas não funcionam bem, nem para pacientes e nem para médicos, Dr. Janett reforçou a importância de encontrar novos formatos e apresentou um case positivo. “Em Cambridge, estamos implementando o modelo de atenção básica. Tratamos doenças crônicas no começo, antes que evoluam”, explicou. Os resultados identificados contemplam melhor atendimento para pacientes e menos custos para o governo.

Esse sistema leva em consideração os resultados médicos, o custo e a qualidade do atendimento. “Quando o tratamento é inadequado, temos uma chuva de procedimentos e custos desnecessários”, complementou. Ele acredita que esse modelo pode ser aplicado ao SUS, “desde que sejam feitas as adaptações necessárias”, finalizou.

Inovação

Encerrando as apresentações do dia, JB Straubel, um dos fundadores e CTO da Tesla Motors, participou do  painel “Por dentro da máquina de inovação Tesla Motors”.  Para o executivo, a inovação nasce nas startups porque elas podem arriscar e precisam encontrar novos meios de concorrer com as grandes  corporações. “É difícil para uma empresa já estruturada correr o risco de prejudicar um produto campeão”, ponderou Straubel.

Na concepção do executivo, a tendência é que grandes empresas se aproximem dos centros de inovação para acompanhar o que há de mais novo. “Gigantes do setor automobilístico, por exemplo, migraram para o Vale do Silício. Essa região tem um histórico de atração para pessoas inovadoras”, contextualizou.

Quando questionado sobre a sinergia entre o foco nos resultados trimestrais e a inovação, o executivo explica não ter uma chave definitiva para o sucesso, mas reforça: “é preciso ter foco no longo prazo, sem abrir mão de entregar bons produtos para o consumidor”.

O executivo reforçou que a missão da Tesla Motors é revolucionar os setores energético e automobilístico. “O desafio é disponibilizar o veículo elétrico em larga escala, com boa autonomia e com infraestrutura para redução de custos”, finalizou Straubel.