Educação Corporativa

Estudar uma língua ajudou 80% dos brasileiros a lidar com o isolamento

61% se sentiram mais felizes e realizados ao aprender um idioma estrangeiro durante a pandemia

Uma pesquisa global realizada pelo aplicativo de idiomas Babbel, uma das empresas de educação mais inovadoras do mundo, revela o lado humano de um recorde registrado globalmente pelo mercado de ensino on-line: estudar uma língua ajudou 80% dos brasileiros, que optaram por esta aprendizagem, a lidar com o isolamento. Surpreendentemente, o país do Brexit foi o campeão em satisfação: aprender um novo idioma ajudou 93% dos britânicos em tempos de lockdown.    

Imediatamente após a introdução das primeiras restrições sociais, o interesse pela Babbel aumentou 30% no Brasil e 50% no mundo. Em alguns mercados, como é o caso dos Estados Unidos, esse crescimento foi superior a 200%. Além disso, a média de lições concluídas diariamente dobrou desde março de 2020. 

A pesquisa internacional foi realizada em duas etapas em dezembro de 2020: uma com 6.000 usuários da Babbel e outra, via Dynata, com 8.700 não usuários. Os principais resultados globais podem ser conferidos aqui: https://pt.babbel.com/compreender-muda-tudo

 61% mais felizes e realizados

Dos brasileiros que optaram por aprender ou melhorar um idioma durante o isolamento, 61% se sentiram mais felizes e realizados graças à nova rotina de auto aperfeiçoamento. No Brasil, este foi o principal motivo para aprimorar ou começar a aprender outro idioma em 2020. Como uma surpresa, os britânicos são os campeões nesse sentido. Mesmo em meio a um doloroso “divorcio” com a União Europeia, 88% passaram a se sentirem mais felizes e realizados por conta de uma língua estrangeira em suas vidas.  Os menos impactados são os franceses: apenas 51% relataram a mesma experiência emocional. 

“Aprender uma língua ativa uma série de recursos mentais. Além disso, já foi demonstrado que o bilinguismo é benéfico para desacelerar o declínio cognitivo. Durante o período de isolamento social, aprender um idioma pode ser uma maneira de estimular o cérebro e permanecer engajado com o mundo, especialmente quando viajar não é mais possível”, comentou Nelleke van Deusen-Scholl, Diretora do Centro de Estudos de Línguas da Universidade Yale, sobre a pesquisa da Babbel. 

Atividade de longo prazo para 85%

Não só os assinantes da Babbel levam a missão de aprender outra língua a sério. Quando entrevistados sobre duração, 85% dos não usuários também consideram o objetivo de aprender um idioma como algo a longo prazo. Os que levam o assunto mais a sério são os poloneses e mexicanos – ambos 92%. Já os estudantes mais casuais são os britânicos: apenas 71% enxergam a nova atividade como algo para ficar.  

 40% planejam usar a nova língua para ganho profissional

Entre os Millennials, 41% planejam usar o idioma que aprenderam durante o isolamento para ganho profissional. Os brasileiros ficam atrás apenas dos mexicanos (44%). Os menos ambiciosos nesse sentido são os franceses: apenas 14% pretendem usar a nova língua para fins profissionais. 

A partir de 2020, o termo home office se popularizou de vez – e muitos gostaram, principalmente os mais jovens. Os Millennials brasileiros (54%) são os que mais querem estender o trabalho remoto para o mundo pós-pandemia, seguidos pelos mexicanos (51%) e espanhóis (44%). 

Os brasileiros também são os mais ambiciosos quando se trata de trabalho internacional.  76% considerariam se candidatar a um emprego no exterior em 2021, seguidos por mexicanos (72%) e italianos (64%). 

Os principais resultados da pesquisa global da Babbel podem ser conferidos aqui: https://pt.babbel.com/compreender-muda-tudo

 


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo