Gestão

Estudo estima 1,6 milhão de divergências no eSocial

Empresas ainda tem dúvidas sobre as reais obrigatoriedades do governo

Levantamento da Acesso Digital, empresa de tecnologia focada em soluções digitais, aponta que 10% das novas contratações realizadas por empresas analisadas pelo sistema Acesso RH ainda têm algum tipo de divergência no eSocial. A transmissão eletrônica desses dados supostamente deveria simplificar a prestação das informações, contudo, a ferramenta do eSocial não informa quais são as divergências. Com isso, tanto a empresa quanto o candidato ficam sem saber o real motivo da divergência durante a consulta dos dados na plataforma. Isso gera dificuldade de entendimento por parte das empresas que não compreendem o que está errado.

De acordo com o eSocial a regularização dos dados pode levar até 7 dias. Por isso, em muitos casos, a dificuldade de encontrar os erros tem gerado desistência por parte do candidato pela empresa que não consegue apontar o que está errado e/ou desinteresse da empresa pela contratação da pessoa com inconsistências. Segundo o CAGED, no ano passado o Brasil teve 14 milhões de admissões, com a expectativa de aumento de mais 2 milhões de vagas em 2018. “Com isso, estimamos que aconteçam mais 1,6 milhão de divergências no eSocial, prolongando o tempo que as pessoas ficam em situação de desemprego. Por isso, queremos ajudar as pessoas e as empresas a promoverem essas contratações de maneira rápida e eficiente, reduzindo de maneira mais rápida o desemprego”, aponta o CEO e fundador da Acesso Digital, Diego Martins.

A pesquisa Contratações Brasileiras: Digitais ou Analógicas? do IBOPE, aponta que 82% dos gestores de RH acreditam que suas empresas precisarão investir em tecnologia voltada para o envio de informações ao eSocial. Entre as principais divergências encontradas pelo eSocial, estão: Divergências relativas ao CPF (situação “suspenso”, “nulo” ou “cancelado”, nome ou data de nascimento divergente) e Divergências relativas ao NIS (CPF ou data de nascimento divergentes).

Confira algumas dicas para os departamentos de RH

  • Antes de contratar um novo funcionário, faça a consulta cadastral no site oficial do eSocial;
  • O RH só poderá informar a data de admissão do funcionário quando toda documentação estiver correta, o novo funcionário só poderá ser cadastrado no eSocial um dia antes do seu início na empresa;
  • As empresas devem solicitar a entrega dos documentos com antecedência;
  • Os profissionais de RH deverão registrar no eSocial qualquer tipo de evento que venha acontecer com o seu funcionário (admissão, contrato de prestação de serviço, CAT, Saúde Ocupacional, férias, afastamentos, aviso prévio, rescisão contratual e etc.);
  • O eSocial irá impactar a empresa como um todo, ou seja, todas as áreas devem ser notificadas sobre a importância de
  • starem de acordo com as regras do eSocial evitando multas;
  • Conheça bem todas as regras do eSocial;
  • Se a empresa ainda não começou a requalificação, chegou a hora de regularizar todos as pendências;
  • O que o RH não pode mais fazer:
    1. Admissão Retroativa
    2. Rescisão Retroativa
    3. Solicitar exame admissional após contratação
    4. Fechar a folha antes do último dia do mês
    5. Fracionamento de férias
    6. Não controlar jornada de trabalho
Etiquetas

Artigos relacionados

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios