ArtigoColunistaSoluções para RH

Executivos de Recursos Humanos estão começando a ter orçamento para a transformação digital

Como preparar pessoas e empresas para enfrentar os desafios da automação?

Uma pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial estima que, até 2022, cerca de 54% dos funcionários das empresas precisarão de novas capacitações e qualificações. No entanto, dominar novas habilidades tecnológicas, como Inteligência Artificial e robótica, é apenas parte do quebra-cabeça. Haverá também uma demanda por habilidades humanas, como pensamento crítico, negociação, empatia e resolução de problemas complexos.

Nas grandes organizações, executivos de Recursos Humanos estão começando a ter orçamento para a transformação digital e já fazem parte das decisões estratégicas sobre o redesenho das empresas. Assim, novas soluções digitais para recrutamento, incorporação e trabalhos digitais chegam ao mercado. À medida que o capital humano volta a ser considerado como um ativo estratégico nas empresas, o papel do RH na transformação digital se torna estratégico.

Tente iniciar uma conversa com um profissional de RH de qualquer lugar do mundo, e garanto que o diálogo se voltará para como o mercado de trabalho está passando por uma grande transformação. Atualmente, a pergunta mais comum nos lábios de todos é: como profissionais de Recursos Humanos, como preparamos as pessoas e a infraestrutura de negócios para enfrentar os desafios dessa nova era automatizada?

À medida que a Indústria 4.0 se desenvolve, ela muda completamente a maneira como vivemos, trabalhamos e interagimos. O Fórum Econômico Mundial a descreve como “uma fusão de tecnologias que estão apagando as linhas que separam as esferas física, digital e biológica”, e que causarão uma disrupção generalizada nos locais de trabalho. Embora seja impossível prever seu impacto exato, já estamos vendo as marcas que a inteligência artificial (IA) e a automação deixam nas indústrias. Com esses importantes avanços em andamento, acho essencial que nós, como profissionais de RH, comecemos a nos preparar desde já.

São questões que vão impactar a vida cotidiana de milhões de pessoas em todo o mundo. Portanto, é natural concluir que, como especialistas em “pessoas”, profissionais de Recursos Humanos são fundamentais para impulsionar a inovação. Com isso em mente, recentemente a Orange Business Services convidou líderes do setor de diferentes países para ingressar em um novo Laboratório de Inovação em RH para compartilhar as melhores práticas, conhecimentos e experiências da área sobre as últimas tendências e usos da transformação digital.

Mudando o conceito de espaços de trabalho

Estamos diante de uma mudança cultural e de papéis. Muitos sugerem que o 5G, a IA, a análise e a automação de dados não apenas alteram os requisitos de habilidades, mas também substituem determinados trabalhos. Sim, algumas funções desaparecerão, mas, olhando por uma perspectiva positiva, a IA tem o poder de aliviar tarefas repetitivas, permitindo que as pessoas apliquem suas habilidades e conhecimentos a tarefas de negócios mais interessantes, atraentes e de alto valor para suas funções.

O objetivo do Orange Labs, o Laboratório de Inovação em RH do Grupo Orange, por exemplo, é medir o impacto da tecnologia nos negócios, identificar projetos de com inovação e iniciativas experimentais. Sabemos que, sem pessoas, uma organização não pode se transformar. As equipes de RH devem dar o exemplo através do uso de ferramentas digitais e análise de Recursos Humanos para ajudar as pessoas a entenderem onde elas se encaixam em uma organização e como elas devem se adaptar à chegada de novas tecnologias.

Nosso papel como líderes é traduzir os dados em conselhos concretos para os líderes de negócios sobre quais habilidades serão necessárias e como elas podem ser implementadas, além de facilitadores e impulsionadores da transformação. Isso significa assumir um papel muito mais estratégico na definição do trabalho do futuro.

Por Paz Fonteboa, diretora de Recursos Humanos da Orange Business Services na Europa

Confira também:

PodCast: A Ciência da Felicidade

Plano odontológico, qual importância desse benefício para a empresa?

Amazon e Apple são as empresas mais disruptivas segundo líderes globais de tecnologia, aponta KPMG


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar