PublieditorialSegurança do trabalho

Impacto do eSocial nas organizações e seus benefícios

A implantação do eSocial traz mudanças importantes para os profissionais de RH e Departamento Pessoal

Esta afirmação deve-se ao fato de que será necessário implantar nas empresas uma nova visão, uma nova cultura empresarial, para que os processos ocorram de forma integrada e precisa.

Os sócios, CEO’s e gestores deverão mais do que nunca, aprofundarem seus conhecimentos na legislação e acompanhar as constantes mudanças nas leis, atentar-se sempre aos prazos, revisar processos internos e investir em treinamento de seu pessoal para manter sua empresa dentro das exigências do eSocial.

Os departamentos contábeis, fiscais, trabalhistas, RH, saúde e segurança, dentre outros, deverão trabalhar de forma conjunta, afinal, todos terão a responsabilidade de enviar dados para o eSocial. O eSocial exigirá a atualização de todos os dados cadastrais dos funcionários enviando as informações e ocorrências em tempo real, como admissão, CAT, desligamento, aviso de férias, entre outros.Impacto do eSocial nas organizações e seus benefícios

Conhecendo os prazos e entendendo a importância dessa ferramenta, será mais fácil e rápido o cumprimento das rotinas, por ora, a implantação e adaptação ao sistema parece até um labirinto de informações, mas acreditamos que com o tempo, todos serão beneficiados por esta mudança.

Podemos destacar os seguintes pontos com a implantação do eSocial:

  • Diminuição da inconsistência das informações prestadas
  • Maior rapidez no acesso às informações
  • Identificação precoce de erros de cadastro e de informação
  • Fiscalização mais efetiva com cruzamento de dados e auditoria eletrônica
  • Informações mais claras e objetivas
  • Confiabilidade e eficácia dos registros

 Saúde e Segurança do Trabalho (SST):

O eSocial introduzirá a necessidade da implantação efetiva de um sistema de gestão da Saúde e Segurança no Trabalho (SST). O controle das informações de SST sempre foi conduzido, de modo geral, de forma isolada e com enfoque eminentemente legalista. O que a legislação exige?

É o que se deve fazer. Portanto, na maior parte das vezes, o “sistema” conformava-se com a elaboração dos documentos básicos (PPRA e PCMSO) e com a emissão dos obrigatórios Atestados de Saúde Ocupacional (ASOs) exigidos para a contratação e dispensa dos funcionários.

Com a implantação do eSocial e dos eventos S-2220 (Monitoramento de Saúde do Trabalhador) e S-2240 (Condições Ambientais do Trabalho – Fatores de Risco) as informações de SST passarão a integrar a realidade operacional e funcional das empresas.

Um detalhe importantíssimo nesse tema é o fato de a maioria das empresas não terem sistemas de registro e consolidação das informações de SST, baseando-se frequentemente em documento impressos ou eletrônicos, mas sem estarem consolidados ou acessíveis. Essas informações não estão registradas nos sistemas de folha utilizados, ficando na maioria das vezes sob a responsabilidade dos prestadores de serviço contratados para a execução dos documentos básicos de SST.

Por conta dessa exigência do eSocial, as empresas precisam avaliar seu status de gestão de Saúde e Segurança no Trabalho, visando a identificação do quadro atual e da consequente adequação para que a partir de janeiro de 2019 possa estar regularizada frente a nova realidade.

Urge, portanto, a definição de uma estratégia sólida para a regularização desse tema, tenho em vista que para a realização de uma gestão de SST adequada, são necessárias ações de planejamento, implantação, correção e avaliação de eficácia, além de um sistema sólido de registro e disponibilização das informações. A CLM está totalmente preparada para atender as empresas clientes com as necessidades de informação do eSocial, para os laudos exigidos legalmente.

Por Dr. Adilson Gomes, diretor técnico da CLM   – www.clm-med.com.br/

 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios