Colunista

Implementando a cultura do feedback

Colunista Mundo RH – Maurício Pedro – Gerente de Atendimento Corporativo do Senac São Paulo

O feedback é uma ferramenta muito utilizada no ambiente corporativo, principalmente na área de Gestão de Pessoas. Fazer avaliações e expor opiniões sobre empresas, equipes e funcionários, proporcionam oportunidades valiosas para todos os envolvidos. E, para obter resultados mais positivos, é preciso entender a prática e executá-la com técnica, sobretudo com muito cuidado com o outro, o que faz a cultura do feedback ser tão necessária.

Quem nunca passou por uma avaliação no local de trabalho pode até achar que é simplesmente um momento para apontar erros e acertos, mas a cultura do feedback vai além. A técnica permite um maior alinhamento entre empresa e funcionário e, com isso, ambos passam a compreender melhor o objetivo a ser alcançado e o que é necessário para chegar lá. Nesse sentido, falamos de vários ganhos, como: maior produtividade, funcionários mais engajados, empresa conhecendo melhor o seu colaborador, alcance de metas, ganhos financeiros e muito mais.

O planejamento e a organização do processo de feedback são fundamentais para a implementação de sua cultura. Como também se torna necessário que a empresa esteja atenta à sua prática no cotidiano, já que é no dia a dia que temos a oportunidade de ajudar no desenvolvimento imediato, seja para fazer um elogio ou orientar sobre um erro cometido. É preciso ter sensibilidade e intervir quando acontecem situações que requerem o feedback, que pode ajudar no desenvolvimento dos colaboradores.

Nesse sentido, muitas vezes não é indicado esperar o dia agendado para o feedback. É importante que o colaborador perceba de maneira mais imediata e que o acontecimento sirva como chance de crescimento profissional.

Avaliações negativas ou corretivas não podem ser encaradas como um problema ou fardo pelo gestor, que deve ser preparado para lidar com as situações de feedback não somente pelo aspecto técnico, mas fundamentalmente de maneira emocionalmente equilibrada. É necessário ter naturalidade para dizer, demonstrar e orientar um colaborador que tem um desempenho abaixo do esperado e combinado. Feedbacks negativos fazem parte do processo de desenvolvimento, e não podem ser “pessoalizados”, como se o chefe não gostasse do funcionário. Em um ambiente de trabalho, o que buscamos com este processo é a profissionalização e a melhoria individual e coletiva.

O período de pandemia e pós-pandemia tem intensificado problemas de saúde mental no ambiente de trabalho. O momento exige muito mais cuidado quando a devolutiva é para um colaborador que está fragilizado, principalmente, se for para ajuste ou correção. Contudo, não podemos deixar de encarar a situação. O papel do gestor é por princípio ser empático, cuidadoso e respeitoso com seus colaboradores, e essa função exige também dizer quando as coisas não vão bem.

A sociedade, de modo geral, tem valorizado a cultura do acerto, o que é intensificado na maneira que as pessoas se comunicam pelas mídias sociais. Porém, nós gestores devemos ter cautela para não criar um ambiente em que seja necessário repetir a todo momento que as pessoas estão fazendo o que se espera delas. Todo profissional precisa e quer ser reconhecido, essa é uma das necessidades básicas do ser humano, mas as pessoas também devem ser tratadas como adultas. E um jeito de respeitá-las é criar um ambiente de trabalho no qual a cultura do feedback proporcione ampliar a maturidade profissional.

Para facilitar a implementação da cultura do feedback nas empresas, é importante que a organização aprimore a sua prática. Ferramentas, instrumentos, processos e cursos de qualificação podem ser bastante efetivos nessa etapa. É importante ressaltar que avaliar pessoas não é uma tarefa fácil. Ainda que o procedimento seja técnico, não podemos descartar que há uma certa dose de subjetividade e julgamento sobre o outro. Por isso, a implementação da cultura do feedback naturaliza o processo, aproximando cada vez mais toda a empresa.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo