Treinamento

Inovação e gamificação no ambiente corporativo

Solução incentiva a colaboração, o aumento da produtividade e a economia de recursos no ambiente corporativo

O sucesso de um projeto não tem fórmula secreta, depende de uma série de iniciativas. Mas, quando um grupo de pessoas criativas, inovadoras e focadas em resultados se une, as chances de alcançar os objetivos aumentam. Esta foi uma das conclusões apresentadas pelo Diretor da Conectt, André Boger, durante o evento “Inovar é do Jogo”, ocorrido no Tecnopuc, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Organizado pelo PGQP (Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade) e mediado por Marcel Ghiraldini, VP da Math Marketing, o evento teve as presenças de Sérgio Roth, gestor do Laboratório de Inovação da thyssenkrupp Elevadores, de Eduardo Pellanda, professor da PUCRS e consultor especialista em Inovação, e de André Pase, professor da PUCRS e consultor especialista em games. Eles falaram sobre a solução em gamificação desenvolvida pela união desta equipe para incentivar a colaboração e a inovação dentro da thyssenKrupp Brasil.

 

Parceiras pela inovação – A solução foi formulada pela Conectt em parceria com a PUC-RS e a sucursal brasileira da desenvolvedora internacional de elevadores. Ela foi criada para incentivar a colaboração e a sugestão de ideias inovadoras para cortar custos e/ou aumentar a produtividade e desenvolvida de acordo com dinâmicas de gamificação. Ou seja, em um ambiente corporativo mecânicas de jogo passam a fazer parte de processos operacionais para aumentar resultados e engajamento.

O projeto adotado pela thyssenkrupp Elevadores é uma plataforma na qual os colaboradores sugerem mudanças nas atividades da empresa buscando mais resultados e menos custo operacional. As ideias mais inovadoras e efetivas dentro da rotina operacional ganham mais “likes” de colegas e investimentos em uma moeda virtual de avaliadores. Por fim, as mais populares são levadas a um comitê que define sua aplicação. Se ela for posta em prática, o criador, assim como quem investiu nela, são reconhecidos com compensações e premiações internas.

“A compressão do tempo faz com que a gente incorpore a tecnologia no cotidiano”, comentou André Boger para exemplificar como os avanços tecnológicos aumentam a produtividade, mas também exigem agilidade nos resultados. Hoje, a maior parte das pessoas está inserida em ambientes tecnológicos e se sente incentivada por um contexto de jogo.

“Trata-se de uma forma de tornar o trabalho prazeroso para os colaboradores da empresa”, afirmou André Pase. “A gamificação vem com essa ideia de dar um propósito às atividades diárias dentro da empresa”, completou.

Incentivo à inovação – A iniciativa de criar um ambiente de colaboração surgiu da consciência da necessidade de inovar para manter-se competitivo em um cenário de mudanças cada vez mais abruptas. Como citou André Boger, “processos de desenvolvimento ficam cada vez mais rápidos e novas soluções surgem em uma rotina anual”. Mas, afinal, como inovar? Como afirmou Eduardo Pellanda, “se todo mundo é inovador, ninguém é”. Ou seja, é preciso buscar diferenciais, “resolver problemas que ainda não existem”, disse o professor da PUCRS.

A ideia foi complementada por Sérgio Roth, que expôs uma situação comum: “Às vezes as pessoas querem que a empresa inove dizendo como inovar”, brincou. Segundo ele, a inovação vem de um entendimento do mercado e dos problemas enfrentados. As soluções surgem dessa contextualização e iniciativas de gamificação incentivam as ideias neste sentido.

Inovação e gamificação no ambiente corporativo

 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo