Saúde

Lave bem as mãos e alimente-se melhor!

A imunidade nunca pode ser deixada de lado

Com a rápida disseminação do novo coronavírus, a busca por ferramentas de prevenção à doença cresce a cada dia. Álcool em gel está em falta nas farmácias pelo Brasil, bem como máscaras de proteção. Lavar as mãos virou regra e até ao isolamento foi preciso recorrer.

Porém, muitos se esquecem de cuidar de uma das maiores forças contra o COVID-19: a imunização. Atentar-se à defesa do organismo, especialmente daqueles que se encaixam no grupo de risco, é essencial para evitar o contágio.

O dr. Daniel Magnoni, consultor da iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV) e presidente do Instituto de Metabolismo e Nutrição (IMeN), explica como a alimentação saudável é vital nesse processo. “Pessoas que se alimentam adequadamente têm mais chance de se proteger. A imunidade nunca pode ser deixada de lado, pois ela é crucial para o nosso bem-estar”, afirma.

De acordo com o especialista, os alimentos que ajudam a melhorar a defesa do organismo são aqueles que contêm proteínas, zinco e selênio, como carne de frango, carne de vaca, peixe, queijo, ovo, leite, soja, feijão, ervilha, entre outros. Deve-se evitar, porém, alimentos mal lavados ou de origem incerta.

Falando em zinco e selênio, ele destaca a importância de uma terra bem adubada, com o manejo responsável e sustentável dos fertilizantes, pois eles repõem nutrientes essenciais ao ser humano. É isso é fundamental, ainda mais agora, que reforçar a imunidade é salvar vidas.

Enquanto   proteínas relacionam-se ao processo de crescimento, reparo e manutenção dos músculos, o zinco garante o bom funcionamento do sistema nervoso e imunitário. O selênio, por sua vez, atua retardando o envelhecimento e prevenindo alguns tipos de doenças.

O médico destaca que, no caso dos idosos, uma dieta regulada torna-se ainda mais necessária. O consumo de proteínas, nesses casos, deve ser estimulado a fim de possibilitar maior resistência às infecções. Os idosos, assim como indivíduos no pós-operatório ou em tratamento de câncer, podem necessitar, inclusive, de suplementação nesse sentido.

Para estimular a imunidade, outras ações como praticar atividades físicas com frequência, manter o sono em dia, hidratar-se constantemente, evitar o consumo de álcool, reduzir o estresse e controlar os níveis de glicemia e colesterol também podem ajudar. Quanto melhor o funcionamento do sistema imunológico, mais rapidamente será a recuperação das defesas do organismo a partir da atuação dos macrófagos e leucócitos.

Não existem exames que avaliem os avanços da função de proteção do corpo, mas a medição da dosagem de albumina, pré-albumina, zinco e selênio mostram se o paciente está dentro dos padrões considerados normais.

Além desses cuidados, toda precaução é pouca em tempos de coronavírus: manter-se em ambientes ventilados, evitar contato com pessoas potencialmente transmissoras e higienizar as mãos de forma correta e com frequência são imperativos nos dias atuais.

 


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar