Soluções para RH

Levantamento mostra que funcionários não cumprem 38% das horas mensais de trabalho

A média de horas extras é de 5 horas mensal por funcionário

Levantamento mostra que funcionários não cumprem 38% das horas mensais de trabalho

Com a rotina acelerada na maioria das empresas, equipes reduzidas e muito trabalho, normalmente a sensação é de que todos estão sobrecarregados. Então, o que falta é tempo, certo?! Talvez. Um levantamento feito pela Pontomais – empresa em tecnologia e controle de ponto para RH – mostra que do total de horas mensais a serem cumpridas pelos colaboradores, em média 38% são registradas como ausentes, isso significa 55 horas por mês. De outro lado, as horas extras ficam em uma média de sete horas mensais por colaborador. Esses dados foram levantados da base de funcionários cadastrados no ponto digital da fornecedora de soluções para RH de janeiro de 2018 a setembro de 2019. A média de colaboradores analisada no período é de 10.500, divididos por cerca de 750 empresas.

Levando em consideração a jornada de trabalho padrão no Brasil de oito horas diárias e uma média de 22 dias úteis mensais, esses 38% de ausência soma o número impressionante de 7 dias de ausência por mês, por funcionário. Em 2018 isso significou 90 dias – 3 meses! – de ausência por funcionário no ano. Até setembro de 2019, a soma está em 47 dias, ou, cinco horas mensais. Dentro dessa porcentagem de absenteísmo registrado pelos próprios colaboradores no ponto digital estão incluídos atrasos, faltas, saídas antecipadas e faltas por banco de horas.

Na mesma amostra de funcionários, quando avaliamos as horas extras, o número de horas fica em média de sete horas por mês, o que daria 10 dias no ano. Uma diferença considerável.

Levantamento mostra que funcionários não cumprem 38% das horas mensais de trabalho

Para Hendrik Machado, CEO da Pontomais, essa realidade deve acender um alerta aos gestores. “Sem dúvidas o alto índice de absenteísmo impacta diretamente na produtividade dentro das empresas. O levantamento é de certa forma inédito. Com a tecnologia do registro digital temos esses dados de forma apurada e real, pois o registro é feito pelo próprio colaborador, sem interferência do RH da empresa. E o resultado serve como um alerta para os departamentos de gestão de pessoas buscarem entender o que está acontecendo junto aos colaboradores”.

Engajamento e gestão de pessoas

Silvana Fernandes, head de RH da Pontomais, explica que os motivos podem ser variados, porém cabe ao RH se atentar a esse fato e tentar diminuir essa incidência de faltas nas empresas. Mas como?

Essa é uma ótima oportunidade para colocar em prática a gestão de pessoas com o objetivo principal de obter o engajamento dos colaboradores e mantê-los alinhados com o propósito da empresa.

“Cabe ao RH atuar estrategicamente, realizando o mapeamento do motivo das faltas pois cada empresa possui uma realidade distinta. Ações como pesquisas internas ou mesmo conversas pontuais para entender o motivo, permitem a identificação do motivo para que um plano de ação seja traçado”, explica a especialista.

Os motivos podem ser diversos, mas criatividade e soluções em equipe podem ajudar a diminuir s ausências.

Silvana Fernandes dá algumas dicas práticas de como solucionou alguns problemas e faltas em grandes empresas que trabalhou:

– Casos de gripes: “Percebemos o alto índice de falta devido à gripe. Atuamos com uma campanha de vacinação interna. Caso a empresa não possa fazer o investimento financeiro, é válido liberar os colaboradores para que se dirijam a uma unidade de saúde próxima para vacinação. Investir estas horas ou custo é mais saudável, pois além de poderem ser programadas, evitam a ausência do colaborador por motivos de saúde em datas não previstas, que podem ser quando a empresa mais precisa da pessoa”.

– Problemas familiares: “Se a empresa conta com equipe de psicólogos pode prestar esse suporte. Se não conta, pode entender se há maneiras de ajudar, seja simplesmente conversando ou encaminhando para psicólogo de unidade saúde ou até ajustando horários de trabalho, ou antecipando períodos de férias”.

– Depressão no trabalho: “Se há um fator desmotivador, vale identificar o causador. Na minha experiência já observamos desde problema com gestor que afetava muitas pessoas, até distância do trabalho e ajustes salariais. Se for algo negativo para toda a empresa, é necessário analisar se é o momento de reciclar gestão, rever posições ou substituir”.

– Engajamento: “Quando a pessoa não se sente pertencente a empresa, o nível de engajamento do colaborador é menor. Ele está trabalhando ali somente por estar. Agora, quando o RH atua mostrando para o colaborador a importância do trabalho dele para o negócio, valorizando sua posição, o envolvimento do colaborador muda”.


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar