Negócios

Medidas do CMN e BC vão facilitar renegociações em apoio a afetados pelo coronavírus

Para líderes de negócio e chefes de família essas são ótimas notícias, que certamente darão um fôlego extra durante a crise

Em meio ao furacão provocado pela pandemia do coronavírus, líderes de negócios, de todos os setores e portes, ao mesmo tempo em que precisam assegurar a sua segurança e a de sua família, precisam manter os negócios funcionando, da melhor maneira possível. Mas muitos setores, como o de serviços, estão com suas operações suspensas, o que complica ainda mais a situação. Claro que o impacto será avassalador, mas, com um eficiente planejamento, acreditamos será possível “dar a volta por cima” – e sim, estamos e continuaremos sendo otimistas.

Um respiro para esse tempo difícil são as medidas anunciadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e Banco Central (BC), que facilitam a renegociação de dívidas de empresas e de famílias que até então estavam em dia com seus pagamentos, e também criam condições para que os bancos consigam manter as concessões de crédito ou até mesmo aumentar a oferta de crédito. Além disso, muito bancos estão prorrogando por 60 dias os vencimentos de dívidas.

Para líderes de negócio e chefes de família essas são ótimas notícias, que certamente darão um fôlego extra durante a crise.

Por outro lado, para os bancos essas medidas afetarão todos os seus processos de formalização de contratos de operações de crédito. O maior volume de renegociações e novos contratos deve se concentrar em crédito à pessoas físicas e pequenas e médias empresas, o que vai exigir dos bancos um nível de tecnologia e velocidade de processamento na concessão e renegociação de crédito que a área interna de TI pode não ser capaz de oferecer em tempo hábil, mantendo a operação aderente ao compliance e novas normas, como a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e políticas de créditos internas, que variam de uma instituição financeira para outra.

Mais agilidade com automatização de processos

A automatização de processos de formalização de crédito reduz em até 70% o tempo de inserção de novos documentos no processo, e em 46% nos casos em que os documentos foram solicitados mais de uma vez, situações que devem ocorrer com frequência daqui em diante.

Assim, investir cada vez mais na implantação do serviço de BPO de gestão de documentos de contratos de crédito, o que pode ser realizado com agilidade, é a melhor estratégia para atender essas novas demandas com eficiência e transparência. Softwares realizam as tarefas repetitivas e automatizam processos que envolvem grandes volumes de atividades manuais, incluindo entrada de dados e relatórios, como formalização de contratos e processos como procure-to-pay e order-to-cash, entregando mais velocidade, redução de custos, maior precisão e assertividade, agilizando a ajuda financeira para empresas e famílias que agora precisam desse “empurrão” para suportar a crise.

O futuro que nos aguarda será difícil? Sim, muito difícil e complicado, não é possível negar. Seria tentar tampar o sol com a peneira. Mas o que precisamos é tentar encontrar soluções para atravessar esse delicado período com calma, tranquilidade e planejamento, sempre pensando no dia de amanhã. E que venham outras medidas como as do CMN e do BC para amenizar a crise.

Por Marcelo Carreira, diretor de marketing da Access Brasil


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar