Mundo RH

Mercado de trabalho: O futuro chegou, e agora?

O mercado de trabalho tem passado por mudanças sem precedentes, com novas tecnologias mudando a maneira como as empresas encontram, contratam e retêm talentos. Será que estamos vivendo uma revolução no campo da tecnologia em Recursos Humanos?

A matéria “As profissões de 2020 segundo especialistas de 1980”, publicada em janeiro deste ano, pela equipe de profissionais do site de roleta online Betway Cassino , discute a respeito de um artigo publicado em 1988, no jornal Press and Sun-Bulletin, que  falava com diversos especialistas sobre como seriam os trabalhos do futuro seriam, reforça tais previsões no recente relatório Job & Hiring Trends for 2020, publicado pelo time de Pesquisa Econômica do Glassdoor e assinado pelo economista-chefe Andrew Chamberlain, de que a revolução tecnológica passou de um sonho especulativo para um conjunto crescente de aplicativos de RH acessíveis e fáceis de usar.

Embora esse cenário de rápidas mudanças possa provocar ansiedade em muitos profissionais, também apresenta enormes oportunidades para as empresas nestes próximos anos. O que está por vir? O relatório detectou as principais tendências de RH para 2020 – e que provavelmente irão moldar a próxima década. Este cenário encontra-se cada vez mais dinâmico e requer novas competências numa velocidade que as universidades nem sempre dão conta de atender.

Uma publicação do Fórum Econômico Mundial 2019 – The Future of Jobs: Employment, Skills and Workforce Strategy for the Fourth Industrial Revolution – apontou para esse caminho ao revelar que este ano haverá uma mudança de 35% das habilidades demandadas nas ocupações de trabalho. Na prática, destaca aquelas capacidades que serão essenciais a todos os profissionais que quiserem ser bem-sucedidos, independentemente da área.

E o que se vê agora são recrutadores atentos a habilidades que até pouco tempo podiam ser completamente negligenciadas quando se examinava currículos ou perfis do LinkedIn. “De hoje em diante, e cada vez mais, determinadas características serão cobiçadas dentro das organizações”, Susana Falchi, destaca a consultora de Recursos Humanos.

A mudança sempre esteve presente em toda a nossa evolução, mas de tempos em tempos, passamos por uma grande revolução. Segundo, Klaus Schwab, o fundador do WEF (World Economic Forum), a humanidade está ingressando na Quarta Revolução Industrial*, onde será uma era em que a união de tecnologias digitais, físicas e biológicas modificará radicalmente não apenas o modo como vivemos, mas a maneira como trabalhamos.

O ponto principal será a tecnologia, que promoverá alterações colossais no ritmo de mudanças, exigindo da população uma constante capacidade de adaptação em um curto intervalo de tempo. De acordo com o relatório do WEF, um terço das habilidades consideradas essenciais no mercado de hoje não serão mais necessárias daqui alguns anos.

Seguindo esse estudo, para os profissionais se adaptarem a essa nova realidade, será necessário desenvolver algumas habilidades, como por exemplo, a criatividade, antes restrita a determinadas tarefas como a criação na publicidade e tudo o que exige a estética como referência, ou seja, com uma série de novos produtos, tecnologias e novos formatos de trabalho, teremos que nos tornar mais criativos para nos beneficiar dessas mudanças.

As mudanças também têm trazido desafios ímpares aos profissionais que atuam na área de recursos humanos, onde precisam inovar constantemente para acompanhar, atender às demandas crescentes das empresas e os questionamentos de seus colaboradores.

Para a Especialista em Desenvolvimento Humano, Rebeca Toyama, os profissionais do futuro terão de examinar números, encontrar insights nos dados analisados e utilizar o Big Data para tomar melhores decisões estratégicas. Ver estatísticas, analisar o aprendizado em problemas passados e tomar decisões baseadas em problemas já enfrentados anteriormente pode ajudar.

A característica que mais diferencia os homens das máquinas são as emoções. Reconhecer e avaliar as emoções das outras pessoas, estabelecer empatia com esses sentimentos visando sempre resultados desejados, são formas de desenvolver essa habilidade.

É uma habilidade social extremamente importante para os líderes e gestores, e será muito necessária e exigida em todas as empresas do futuro.

Ao mesmo tempo em que se investem em máquinas e serviços automatizados, as empresas têm privilegiado a contratação de profissionais que apresentem fortes habilidades interpessoais. Comunicação, boa síntese, falar em público, conduzir uma negociação e estar à frente de uma equipe são necessidades cada vez mais exigidas para o ambiente profissional.

Embora haja muito avanço em áreas como automação do trabalho e inteligência artificial, os funcionários continuam a ser recursos valiosos para as empresas. Saber gerenciar pessoas é o mesmo que saber maximizar a produtividade, motivar as equipes e responder às necessidades dos funcionários para que se sintam acolhidos. Ajudá-los a lidar com os problemas do dia a dia, oferecer um ambiente confortável de trabalho e incluir opiniões divergentes dos membros das equipes são também habilidades humanas imprescindíveis.


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar