Carreira

Mercado de Trabalho: sobe a confiança dos profissionais em relação ao futuro

Com base em dados do ICRH, diretor geral da Robert Half recomenda às empresas cinco boas práticas para otimizar a operação em 2020

Mercado de Trabalho: sobe a confiança dos profissionais em relação ao futuro

A 10ª edição do Índice de Confiança Robert Half (ICRH) aponta que, na média, tanto os recrutadores quanto os profissionais empregados e desempregados permanecem otimistas quanto aos rumos do mercado de trabalho nos próximos seis meses, com índice de percepção elevado de 51,9 pontos em julho de 2019 para 53 pontos em outubro do mesmo ano. No levantamento, o sentimento dos profissionais qualificados, ou seja, com idade igual ou superior a 25 anos e formação superior completa, é avaliado por pontos que vão de 0 a 100, com consideração de otimismo a partir dos 50 pontos.

Além do aumento do otimismo em relação ao futuro, a situação corrente melhorou para todas as categorias. O ICRH consolidado para a situação presente avançou de 30,8 para 32,8, enquanto a categoria de desempregados registrou a maior pontuação histórica (25,4) com alta de cinco pontos percentuais. “O avanço do indicador consolidado pode apontar projetos saindo da gaveta, novos investimentos e a necessidade de novas contratações. Para os profissionais, estejam eles empregados ou desempregados, a evolução do índice de confiança pode significar novos desafios e oportunidades”, destaca Fernando Mantovani, diretor geral da Robert Half.

Mercado de Trabalho: sobe a confiança dos profissionais em relação ao futuro

Confiança dos Profissionais no Mercado de Trabalho – consolidação
(Fonte:
10ª edição do Índice de Confiança Robert Half – ICRH

MomentoJaneiro

2019

Abril

2019

Julho

2019

Outubro

2019

Atual58,453,751,953,0
Próximos seis meses32,731,830,232,8

Um fato que corrobora esses sinais positivos indicados pela evolução do índice está em outro dado do ICRH. De acordo com o estudo, mais da metade dos profissionais responsáveis pelo preenchimento de posições dentro das empresas (56%) afirma que do ponto de vista de abertura de vagas 2020 será melhor do que 2019.

A 10ª edição do Índice de Confiança Robert Half está disponível para download gratuito no site da empresa (www.roberthalf.com.br/indice-confianca). Com base em dados do estudo, Fernando Mantovani recomenda que as empresas adotem cinco boas práticas para 2020:

#1 – Conheça o desejo dos seus colaboradores!

Apenas 12% dos profissionais entrevistados pelo ICRH têm intenção de permanecer na mesma companhia e função em 2020. Outros até pensam em ficar na mesma organização, mas cultivam planos de serem promovidos (38%) ou trocar de área (4%). É preciso atenção especial também aos que desejam se desligar, seja apenas para atuar em outra organização (26%), mudar de empresa e de área (8%), abrir o próprio negócio (5%) ou ter experiência em outro país (3%).

#2 – Tenha um plano de cargos e salários compatível com o praticado no mercado!

Falta de compatibilidade entre salário e benefícios almejados e oferecidos foi o principal motivo que levou profissionais empregados e desempregados a não serem admitidos em processos seletivos, de acordo com a percepção dos próprios profissionais. O dado é um alerta para que as empresas estruturem ofertas compatíveis com as praticadas no mercado e se preparem para defender o pacote diante dos candidatos. Está com dúvida, consulte nosso Guia Salarial 2020 (www.roberthalf.com.br/guia-salarial).

#3 – Contrate profissionais por projetos na retomada das ações!

Uma boa forma de dar início a ações que contribuem para o desenvolvimento de negócios é dividindo as demandas em várias etapas e contratar profissionais especializados em projetos para executá-las. “Dessa forma, sem inflar o quadro de colaboradores permanentes, a cada etapa concluída será possível avaliar se é viável continuar ou paralisar o projeto”. Vale ressaltar que a 10ª edição do ICRH aponta que, após a reforma trabalhista de 2017, mais da metade (57%) dos profissionais que atualmente atuam por projetos observou o aumento da oferta de trabalho nesta modalidade.

#4 – Otimize seu processo de contratação!

No processo de recrutamento, 17% das empresas entrevistadas enfrentam o desafio contratar profissionais para cargos estratégicos sem afetar a rotina da companhia. “Em casos de urgência no preenchimento de uma vaga ou de demanda por um perfil muito específico de profissional é importante que a área de seleção da companhia considere contar com o apoio de uma empresa especializada em recrutamento. Não porque a equipe interna não seja competente, mas sim pelo fato de que um parceiro terceirizado especializado pode contribuir para a aceleração do processo de uma maneira eficiente”, explica Mantovani. Ele destaca, ainda, para 12% das companhias ainda há dificuldade de decidir sobre dois profissionais muito qualificados.

Mercado de Trabalho: sobe a confiança dos profissionais em relação ao futuro

#5 – Contrate o profissional certo antes que o mercado aqueça!

Mantovani lembra que, apesar de ainda termos uma parte importante da população desempregada, o histórico de desemprego entre os profissionais qualificados se mantém relativamente baixo. No terceiro trimestre de 2019, por exemplo, enquanto o desemprego da população geral era de 11,8%, apenas 5,3% dos profissionais com 25 anos de idade ou mais e formação superior completa estava sem emprego.  “Aconselho as companhias a se prepararem para uma possível disputa das empresas pela atenção dos profissionais de talento a retomada do mercado acelerar, afinal, encontrar colaboradores qualificados é a principal dor de cabeça de 80% dos empregadores durante o processo de recrutamento”, conta.

ÍNDICE DE DESEMPREGO
(Fonte: IBGE) 

Público1º Trimestre

2019

2º Trimestre

2019

3º Trimestre

2019

Geral12,7%12%11,8%
Profissionais qualificados6,1%5,5%5,3%

Divulgue sua empresa para os RHs do Brasil


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar