O poder do relacionamento interpessoal nas empresas

Aplique esta fermenta da forma certa para alavancar a produtividade e a autoestima dos seus funcionários e colaboradores

O poder do relacionamento interpessoal nas empresas

Você sabia que a maioria dos profissionais são contratados por competência técnica e demitidos por problemas de relacionamento?

Os problemas de relacionamento entre as pessoas no ambiente corporativo afetam a produtividade e podem ser um grande fator de insatisfação.

Os desafios das empresas, muitas vezes, é compreender porque esses problemas acontecem. Quase nunca sabemos quais são as expectativas que os outros têm em relação a nós. Muitas vezes, não expressamos de forma clara como gostamos de ser tratados por aqueles que passam a maior parte do tempo ao nosso lado.

Refletindo sobre estas questões, o psicólogo americano Will Schultz propôs um método para aperfeiçoar as relações, com base na tomada de consciência sobre as próprias necessidades.

A ferramenta FIRO-B, que ele desenvolveu em 1958, é um estímulo para encararmos de frente a verdade, nos olhando no espelho. A ideia é que conhecendo a nós mesmos podemos comunicar as nossas expectativas de forma genuína.

Para Schultz, a autoestima influencia a forma como nos sentimos, e o comportamento que temos no mundo externo. Do mesmo jeito, mas em sentido contrário, as nossas atitudes têm reflexos sobre os nossos sentimentos, que moldam a autoestima.

“Gostar de si mesmo e entender o que se sente, portanto, ajuda a garantir a produtividade e a colaborar mais com os colegas. A satisfação pessoal é sentida por todos e se torna contagiante.” explica Adriana Fellipelli, CEO em Instrumentos de Diagnóstico e Desenvolvimento Organizacional

O FIRO-B identifica três necessidades fundamentais comuns para todos os seres humanos:

  • Inclusão
  • Controle
  • Afeição

Os comportamentos que estão a elas associados podem ser expressos ou desejados.

O comportamento expresso é aquele que você demonstra que é claramente observado pelas outras pessoas. E o comportamento desejado é aquele que você espera que o grupo tenha em relação a você.

A inclusão refere-se à interação que os indivíduos desejam: receber atenção, pertencer e ser único. Quando ela é expressa, você manifesta seu esforço de incluir os outros nas atividades e ideias. É quem, por exemplo, oferece ajuda aos novos funcionários.

Quando a inclusão é desejada, você busca forma de visibilidade, esperando ser notado, convidado e finalmente inserido no controle. Já o controle refere-se as relações de poder, autoridade e influência.

Quando o controle é expresso você assume posições de responsabilidade e procura influenciar os demais com as suas opiniões. Quando o controle é desejado, você pede ajuda antes de decidir e envolve as pessoas em todos os seus processos

A afeição define o quanto de abertura você possui em suas relações, quando é expressa você dá apoio aos outros de uma forma verbal e física, demonstrando ser confiável e leal.

Quando a afeição é desejada, você agrada todos a sua volta, ouve atenciosamente e tenta oferecer sempre mais do que eles precisam. É importante lembrar que todos os nossos relacionamentos são iniciados pela inclusão e rompidos pela falta de afeição.

Os benefícios da relação interpessoal com seus colaboradores são resultados visíveis:

  • Oferece uma compreensão ampliada de seu comportamento e do comportamento do outro;
  • Explica como as necessidades pessoais afetam vários relacionamentos interpessoais;
  • Maximiza o impacto das ações de cada indivíduo;
  • Reconhece as opções para o crescimento de sua satisfação e produtividade no trabalho;
  • Explora formas alternativas para alcançar os seus objetivos

“A empresa que aplica o FIRO-B conhece mais profundamente os seus profissionais e imediatamente percebe que os integrantes de uma equipe se sentem importantes, competentes e queridos, isso diminui o medo, aumenta a capacidade de se falar a verdade. Neste cenário de confiança e respeito os colaboradores podem oferecer o que tem de melhor”, finaliza Adriana.