O que é melhor para o currículo?

Os recrutadores priorizam apresentações claras e objetivos de histórico profissional

O tempo de permanência na empresa é uma questão que ainda preocupa os profissionais brasileiros. Pesquisa recente realizada pela Randstad, empresa holandesa de soluções em RH, elencou as razões que fazem o trabalhador não trocar de emprego. A remuneração, o ambiente de trabalho e a estabilidade são os principais fatores que contribuem para essa decisão. Já a progressão na carreira aparece apenas em quarto lugar.

O engenheiro químico Almyr Fernandes ingressou na multinacional Bayer há quase 30 anos, como estagiário na área. Hoje é gerente de produção e acredita que não é prejudicial ter experiência em apenas uma ou duas organizações.

“As vantagens de se trabalhar muito tempo em uma mesma empresa é que seus conhecimentos se tornam mais úteis e importantes, contribuindo para novos projetos e avanços, que também enriquecem um currículo. Entretanto, é essencial trabalhar em uma empresa como a Bayer, que oferece oportunidades de aprendizagem e desenvolvimento, assim como desafios constantes”.

Por outro lado, brasileiros ficam receosos sobre acumular experiências curtas em diversas empresas. A consultoria Catho desmistifica: hoje, o tempo de permanência nos empregos tende a ser menor. Os recrutadores priorizam apresentações claras e objetivos de histórico profissional, sem esquecer os dados de contato completos e visíveis.

Cláudia Moreira atua com gerenciamento de projetos e acumula diversas empresas em seu currículo, como White Martins, Intertechma, Oi e Linde Gases. Hoje está na Bayer e aconselha que as pessoas considerem, em primeiro lugar, o crescimento profissional.

“O importante é permanecer nas empresas pelo tempo em que o desenvolvimento e os desafios ainda existam. A mudança vem da necessidade de crescer e aprender, gerando satisfação. Normalmente, cursos profissionalizantes não têm o mesmo peso do que as experiências de trabalho. É preciso estar inserido no mundo corporativo para entender a verdadeira essência das necessidades do negócio”.

Veja 8 dicas para tornar um currículo eficiente:

  1. Seja claro, objetivo e organizado ao descrever as informações;
  2. Apresente o histórico de desenvolvimento de carreira e os principais projetos em que esteve envolvido;
  3. Não esqueça de inserir dados de contato atualizados e completos, como endereço, e-mail, telefone e celular;
  4. Não deixe de indicar o objetivo profissional, que deve ser direto;
  5. Revise o texto para corrigir possíveis erros de português, pois currículos com esse tipo de falha dificilmente passam pela triagem dos selecionadores;
  6. Não minta, pois pode trazer uma imagem negativa quando estiver no período de entrevista;
  7. Não é necessário mencionar qualidades pessoais como “pessoa otimista, organizada, comunicativa e pró-ativa”, já que essas características são avaliadas em etapas presenciais e podem tornar o currículo extenso;
  8. Por fim, importante lembrar que informações adicionais devem ser discutidas apenas no contato pessoal, ou seja, na entrevista.