Saúde

Oito em cada dez usuários de planos de saúde não realizam checkup preventivo

Levantamento inédito mostra que baixa adesão ao benefício impacta em custos mais elevados e menor chance de diagnóstico precoce de doenças

A baixa adesão ao checkup preventivo está impactando diretamente nos custos totais dos planos de saúde e diminuindo a chance da descoberta de novas doenças em estágio inicial. De acordo com pesquisa inédita realizada pela corretora It’sSeg, corretora de seguros especializada em gestão de benefícios, que avaliou um grupo específico de usuários elegíveis ao checkup disponibilizado pelo plano de saúde, oito em cada dez pessoas não realizam checkup preventivo.

O estudo foi realizado em agosto deste ano com o objetivo de identificar o comportamento de sinistros e média de eventos, de forma comparativa, entre aqueles que realizaram ou não o checkup. Foram contemplados nesse levantamento cerca de 64 mil vidas e 15 clientes da companhia.

Ao avaliar os indicadores, os usuários que não realizaram checkup registram despesas mais elevadas em relação àqueles que fizeram checkup em todos os itens analisados, como sinistro per capita (+2%) e custo de internação (+19,6%), associado a estas elevações, a taxa de internação por mil usuários também foi muito superior para os que não realizaram o checkup (+18,8%),

“Esse descaso com a saúde ainda é um problema cultural. O hábito de utilizar o sistema de saúde reativamente é um fator determinante para a precificação de um plano. E quem acaba pagando essa fatura mais elevada é o próprio usuário, que poderia realizar preventivamente o plano de saúde, independentemente de ter acesso a checkups, reduzindo riscos com sua saúde e despesas desnecessárias. Enquanto essa equação não for calibrada, ou seja, mais usuários aproveitando o benefício do checkup, a conta continuará elevada”, explica Thomaz Menezes, presidente da It’sSeg.

A média de eventos por beneficiário foi maior para aqueles que não realizaram o checkup em quase todos itens, exceto em terapias (-1,7%).  A alta foi superior em consultas (+5,1%), diagnose (+17,4%) e exames por consulta (+12,9%).

“Inclusive este aumento nas terapias pode ser considerado um fator positivo, pois é um procedimento importantíssimo para o tratamento ambulatorial, prevenção do risco e é muito menos invasivo”, relata Thomaz.

No quadro abaixo, ao avaliar o grupo elegível ao checkup (cerca de 4 mil vidas), os resultados obtidos demonstram o custo evitado de sinistro, caso integralmente esta população tivesse realizado checkup preventivo.

“O impacto do diagnóstico precoce, especialmente em surgimento de doenças, é importantíssimo para tratamentos mais eficazes e possíveis, preservando a saúde e qualidade de vida do usuário. Comprovadamente o checkup é uma forma eficiente de rastreamento de grande parte das patologias, entre elas diversos tipos de câncer. Quando o diagnóstico dessa doença é descoberto em estágio mais avançado, pode custar 20 vezes mais caro se detectado em fase inicial, além de diminuir as chances de cura”, diz Menezes.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar