Negócios
Tendência

Organize as contas para começar 2020 sem crise

Empréstimo com garantia ajuda a centralizar dívidas em uma única prestação mensal com juros menores e prazo estendido

Com o ano terminando, muitas pessoas se atrapalham com os gastos das festas, férias e presentes e acabam se esquecendo das despesas de início de ano, como IPTU, IPVA, volta às aulas e as dívidas já acumuladas. É nessa época que muitas pessoas acabam perdendo o controle das finanças e se enrolando no rotativo do cartão e cheque especial, recorrendo muitas vezes ao empréstimo pessoal. “O crédito de curto prazo é fácil e rápido. O grande problema destas modalidades são as altas taxas de juros cobradas e, no desespero, muita gente não se atenta a isso”, explica Flávio Shechter, Gerente de Crédito da Creditas.

 

Um estudo realizado em 2017 pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apontou que 59% dos consumidores, por exemplo, desconhecem as taxas que são cobradas pelas operadoras de cartão de crédito, em caso de atraso no pagamento. A pesquisa mostrou ainda que, para 90% dos brasileiros, o uso de cartão de crédito impõe riscos à vida financeira, já que o atraso no pagamento acarrete as altas taxas, fazendo com que a quitação da dívida se torne distante. 

 

Há quem esteja endividado tanto no cartão, como cheque especial e com as parcelas de um empréstimo pessoal, fora o financiamento da casa ou do carro e o crediário.  Há também quem tem apenas uma dívida pendente. Segundo o especialista, no segundo caso, se as parcelas estiverem muito altas e os juros bem acima vale tentar negociar com a instituição financeira. Caso não consiga, a dica é encontrar uma alternativa com juros mais baixos e prazos mais longos, que vão acarretar também em parcelas menores. No segundo caso, o ideal é englobar todas as dívidas em uma só também com uma alternativa mais barata. Assim, ao invés de ter de pagar mensalmente mais de uma parcela altíssima, é possível ter apenas uma que não comprometa a renda mensal da família. 

 

De acordo com o educador financeiro, é mais fácil e econômico fazer a reorganização e troca da dívida. “Essa ação, conhecida como reorganização de dívida, torna-se ainda mais importante quando há um acúmulo de dívidas, já que concentrar todas em uma só com um prazo mais longo, uma parcela menor e taxa menor que a média do que se está pagando faz com que o gasto com juros seja expressivamente menor, além de reduzir a complexidade.”, afirma. 

  

Uma modalidade de crédito cada vez mais utilizada para fazer essa troca de  dívidas caras por barata é o empréstimo com garantia. Com taxas mais baixas e prazos mais longos, é possível trocar uma ou mais dívidas caras por apenas uma. Na Creditas, as taxas vão a partir de 0,99% ao mês, no caso da garantia de imóvel, e 1,56% ao mês, caso seja de veículo. Para quem trabalha com carteira assinada, ainda existe a opção do Consignado Privado, com desconto direto na folha de pagamento e taxas a partir de 1,29% ao mês. 

  

“A ideia de fazer mais uma dívida pode assustar, porém é uma solução eficaz para melhorar problemas de planejamento e organização. Essa estratégia não tem como objetivo tornar o empréstimo mais uma parcela e, sim, a única no orçamento do solicitante. Com prestações de valor mais baixo somadas a um prazo de pagamento mais longo, a pessoa pode se planejar com mais tranquilidade para adiantar algumas parcelas e amortizar a dívida, por exemplo.” explica Shechter. 

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar