Gestão

Os caminhos para tornar a gestão de pessoas mais eficiente

A automação de processos gerenciais tem sido uma tendência do setor

A tecnologia e a inteligência artificial já mudaram diversos parâmetros e referências dentro e fora do mundo corporativo. Hoje em dia, não podemos passar um único dia sem estarmos conectados aos nossos celulares, pedimos comidas e taxis por aplicativos, controlamos nossas finanças e até a quantidade de passos que damos em um dia. Para além da digitalização, essa mesma tecnologia avança para outros setores de uma empresa e, entre eles, a área de recursos humanos.

Sabemos que pessoas são a essência de uma empresa e, mais do que nunca, ter um ambiente motivador, equilibrado, focado no desenvolvimento dos profissionais é também uma das tarefas da área de gestão de pessoas. Para isso, a automação de processos gerenciais tem sido uma tendência do setor, mas que poucos gestores entendem como ela pode fazer a diferença quando se tem como objetivo tornar o RH mais eficiente e estratégico.

O primeiro motivo para trazer essa tecnologia para sua empresa é que, ao implementar uma ferramenta de fluxo de trabalho automatizada, uma grande clareza operacional vem à tona. Todas aquelas atividades de divisão de responsabilidades, prazos e quais são os microprocessos envolvidos em cada uma dessas atividades. Desse modo, o gestor pode acompanhar e ter, em tempo real, não só uma visão das atividades da sua área, mas também a performance do seu time.

O pagamento e controle de benefícios, assim como faltas, atestados e documentos dos funcionários podem ser facilmente gerenciados. No caso das folhas de pagamentos, por exemplo, é possível otimizar as métricas da área de compliance, cadastrando as regras vigentes e deixar que o cálculo de cada pessoa seja feito com velocidade e simplicidade, com uma porcentagem muito pequena para erros. Isso sem contar o controle de horas extras, que pode ser feito a partir da hora que o funcionário faz o login em sua máquina até a hora que o computador desliga. Do mesmo modo, em empresas em que há alternação de usuários para a mesma máquina, o sistema pode programar um desligue automático no horário que o funcionário deve encerrar seu expediente.

Em termos bem didáticos, uma empresa interessada em implementar essa tecnologia passaria por uma consultoria, para desenhar um workflow dinâmico e inteligente para a área. A partir disso, mecanismos de inteligência artificial como, por exemplo, a identificação de um comportamento padrão e repetitivo dos dados podem trazer análises de perfil em tempo real e tornar a ação de preencher uma tabela ou uma análise de performance e entregas quase que em tempo real. Com isso, coordenadores, gerentes e diretores podem ter suas tomadas de decisões facilitadas por análise de dados.

Desse modo, podemos perceber que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, a inteligência artificial não é uma inimiga do trabalho humano, mas sim uma facilitadora. O mercado já tem dado sinais que essa tendência tem crescido e ganhado força, impactando positivamente as tarefas operacionais e fazendo com que a área de recursos humanos trabalhe, cada vez mais, para o desenvolvimento de pessoas.

Por Renan Vazquez é Head de Projetos de Automação na Indigosoft

Imagem: Freepix

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios