Os cinco superpoderes de ótimos gerentes de produtos

Os gerentes de produto falam com os usuários e analisam os dados para criar hipóteses do que está errado

Sempre fui fascinada por histórias de super-heróis. Quando criança, gastava horas debatendo qual superpoder eu gostaria de ter e imaginando como seria a vida se eu pudesse voar ou viajar no tempo. Além de seus poderes, gosto do fato dos super-heróis terem um propósito e estarem sempre tentando causar um impacto positivo na sociedade. Isso me lembra muito o papel dos gerentes de produtos. De fato, muitos gerentes de produtos com quem tive a sorte de trabalhar desenvolveram habilidades que são, em muitos aspectos, similares aos superpoderes. Abaixo, fiz uma lista de algumas de suas habilidades especiais.

Prever o futuro

Por que as empresas fracassam? Muitas vezes, porque falharam ao prever o futuro. Ótimos gerentes de produto transformam isso em prioridade e estão constantemente identificando o que está mudando, como as necessidades e comportamentos dos consumidores estão evoluindo, quais tecnologias emergentes estão criando um impacto e quais premissas de negócios já não são mais relevantes. Além disso, eles são capazes de traduzir essas informações em uma visão convincente de como o mundo será (sem necessariamente focar em como exatamente o produto funcionará). E eles também são talentosos contadores de histórias e direcionam a organização para a visão deles.

O poder da supercomunicação

A gestão de produto tem tudo a ver com a colaboração. E ótimos colaboradores são aqueles que dominaram o poder da comunicação. Se comunicar com clareza não só é essencial, mas muitas vezes negligenciado pelos gerentes de produtos. Claridade e nitidez de pensamento, bem como a estrutura da entrega, podem fazer uma grande diferença, particularmente na hora de transmitir informações complexas para diferentes públicos. A habilidade de adaptar a sua mensagem em função da audiência e incluí-la na conversa, juntamente com a capacidade para escutar e ter empatia, são características de gerentes de produtos excepcionais.

Metamorfose

Ser um gerente de produto atualmente significa ter um forte senso de negócios, uma visão ampla da indústria ou segmento, grande conhecimento de design e pesquisa do usuário, ótimas habilidades analíticas e a habilidade para entender complexos conceitos tecnológicos. Em um momento somos estatísticos, em seguida somos pesquisadores. Desenhamos com engenheiros, nos sentamos nas mesas de vendas e negociações e algumas vezes atuamos até como consultores motivacionais. Ótimos gerentes de produtos mudam de forma e pulam de uma função para outra sem esforço.

Poderes de cura

Se pensarmos como os ótimos gerentes de produto resolvem problemas de produto ou desempenho, eles são parecidos com os médicos que resolvem os complexos casos de seus pacientes. Os médicos conversam com os pacientes e monitoram os sintomas para emitirem diagnósticos. Os gerentes de produto falam com os usuários e analisam os dados para criar hipóteses do que está errado e porque uma métrica em particular está subindo/descendo. Um diagnóstico preciso é fundamental para o tratamento bem-sucedido em ambos os casos. E as iterações de produto que planejam ou os MVPs (produto mínimo viável) que criam são tão bons quanto a qualidade desses diagnósticos.

Invisibilidade

Ótimos gerentes de produtos fazem as coisas acontecerem por meio da facilitação e da colaboração. Eles institucionalizam as melhores práticas de desenvolvimento de produto e compreendem que a gestão de produtos trata do gerenciamento cultural. Eles são humildes e permitem que suas equipes brilhem, ao invés de manterem os holofotes para si mesmos. Embora eles possam ser invisíveis, o impacto e os resultados de ótimos gerentes de produtos são sempre visíveis.

Por Janet Baireva, Chief Product Officer na OLX Brasil