Comportamento

Profissionais de RH acreditam no crescimento do mercado de trabalho para 2018

Eles também acreditam que as empresas têm a missão de fazer as pessoas felizes nos cargos em que ocupam

 Os profissionais de Recursos Humanos estão otimistas com a recuperação econômica do país. É o que mostra um levantamento realizado pela agência Oribá Soluções Criativas, durante o 43º CONARH, Congresso Nacional de Gestão de Pessoas, promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH, em São Paulo neste ano. A pesquisa ouviu 311 entrevistados e 79,39% deles acreditam que o mercado de trabalho reagirá em 2018.

O feedback dos profissionais de RH mostra ainda que as pessoas passaram a valorizar outro quesito antes do financeiro. A qualidade de vida vem em primeiro lugar para 84,54% dos entrevistados, já para os outros 10,60% está o salário.

E 99,09% deles foram enfáticos ao dizer que é possível ser feliz no trabalho, sendo que 100% garantem que um bom ambiente é que faz toda a diferença. “Empresas e pessoas precisam estar cada vez mais conectadas, para que ambas encontrem sua realização. Cada vez mais as pessoas procuram empresas com que se identificam e só permanecem nelas se estiverem fazendo o que gostam”, ressaltou o presidente da ABRH-SC, Paulo Sérgio de Souza Corrêa.

 Ambiente saudável pode influenciar na produtividade

 Para saber como isso acontece na prática, a ABRH-SC conversou com algumas empresas que fazem dos seus ambientes de trabalho um grande diferencial.  Hoje, as pessoas buscam mais pela felicidade no trabalho do que a própria estabilidade. É muito mais natural e saudável fazer aquilo que se gosta em uma empresa com a qual também é possível se identificar.

Oferecer um ambiente e uma cultura de trabalho diferenciados aos colaboradores são alguns dos diferenciais que levaram a Resultado Digitais a ser reconhecida, por três anos consecutivos, como melhor empresa para se trabalhar em Santa Catarina, segundo o instituto Great Place to Work. É fazendo as pessoas felizes em suas funções que a empresa obteve crescimento de 297 clientes em 2013 para 6.600 no final ano passado, com estimativa de chegar a 15 mil em 2017. O número de colaboradores também foi ampliado, de 36 em 2013 para 370 em 2016 e expectativa de fechar em 650 em 2017.

Ter um código de cultura muito bem definido é um dos pontos desse sucesso, destaca Anderson Nielson, diretor de Gestão de Pessoas da Resultados Digitais, que é hoje uma das maiores empresas de Marketing Digital da América Latina. O documento detalha valores relevantes para os fundadores da empresa e aqueles que eles buscam nas pessoas que ingressam no time.

A Resultados Digitais aposta em um clima positivo, áreas de convívio, investimento em aprendizado e na participação mútua das pessoas nos processos de decisões. Oferece possibilidades de evolução na carreira, programa de desenvolvimento de lideranças e rotatividade de pessoas para áreas mais adequadas com seu perfil. Mantém vivo o exercício da transparência, com treinamentos para melhorar a qualidade dos feedbacks e facilitar a comunicação.

Proporcionar felicidade aos colaboradores é fazer com que eles se sintam parte de um grupo, de um propósito, comenta Nielson. “O papel da liderança e do RH na construção da felicidade é atuar no alinhamento e realinhamento de expectativas. Ampliar o nível de consciência das pessoas através do diálogo, para que exista uma maior compreensão sobre as apropriações individuais da realidade, e isso tem relação com aumentar o nível de confiança entre líderes e liderados”, pontua. “Tem o papel, também, de suportar, treinar e estimular as pessoas para diálogos positivos e amorosos”, complementa.

Foco nas pessoas

André Krummernauer, diretor de cultura e finanças da Involves, acredita que o principal gatilho para impulsionar a cultura organizacional é a interação pessoal. A música é algo presente nos valores e na história da empresa, que canaliza suas energias para a felicidade e a leveza. Ele e mais cinco amigos da faculdade fundaram a Involves em 2008, a partir de duas bandas de rock de Florianópolis. De seis fundadores, hoje a especialista em trade marketing e merchandising no ponto de venda conta com mais de 130 “Involvidos”, crescendo pelo menos 100% ao ano em receitas desde 2011.

O segredo dessa alegria, que também impulsiona os negócios, é melhorar a experiência das pessoas dentro da empresa. Entre as ações realizadas com os colaboradores estão programa de dança, ambiente interativo, comunicação humanizada via redes sociais, integração entre as pessoas para reforçar o sentimento de união entre o time, confraternizações, ações sociais e outros.

Na empresa, as pessoas têm liberdade para se expressar. “Não procuramos estereótipos nas pessoas que contratamos, mas o que elas são em sua essência”, comenta Krummernauer.

O valor de cada um

Rafael Gregório Jaworski, é gerente de RH da Pormade e foi eleito pela Revista Gestão e RH em 2015 e 2016 como um dos 100 Profissionais de Recursos Humanos mais Admirados do Brasil, recebendo o prêmio de Destaque Estadual em 2016.

Para ele, a felicidade acontece no ambiente em que as pessoas são respeitadas e têm acesso para contribuir. “É preciso dar significado para que as pessoas busquem mais do que dinheiro. Valorizamos a construção da confiança, pois é a base de tudo. Falamos verdade e fazemos aquilo que falamos”, explica. Outra aposta da Pormade é facilitar a rotatividade das pessoas dentro da empresa, para gerar experiência e colocar as pessoas certas nos lugares certos. “O que vale são as experiências e fazer o que a gente gosta”, reforça.

5 premissas da Pormade para garantir a felicidade de seus colaboradores:

  1. Inspiração e motivação: a empresa realiza projetos envolvendo as famílias dos colaboradores, como aula de inglês para os dependentes, auxílio universidade, jogos internos e ações sociais;
  2. Falar, ouvir e participar: dar feedback é essencial, mas além de falar muito, é preciso ouvir muito, prestar atenção nas pessoas;
  3. Saber agradecer: se importar com as pessoas que fazem a diferença e dão o seu melhor no trabalho, por meio da meritocracia;
  4. Cuidar do clima organizacional: na hora da entrevista de contratação, a empresa leva em conta as questões comportamentais, mais do que técnicas, pois acredita no jeito de ser de cada um como potencial;
  5. Desenvolvimento contínuo: as pessoas se motivam quando percebem que estão crescendo de forma pessoal e profissional, por isso na empresa elas têm acesso à universidade corporativa.

 

Imagem:Pixabay

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios