DiversidadeInclusão

Quais os aprendizados que o coronavírus trouxe para a Diversidade e Inclusão nas empresas?

Podemos aproveitar essas lições que estamos aprendendo a cada dia também no universo corporativo

Durante este momento de quarentena por conta da pandemia do coronavírus (COVID-19), podemos observar várias lições, entre elas, a humanização nas relações e o quanto é importante se preocupar com o outro. Esses momentos de desafios nos levam a refletir sobre o nosso posicionamento na vida, e espero que traga muitos aprendizados e transformações.

O coronavírus não tem o mesmo impacto nas pessoas, segundo o Ministério da Saúde, ele tem sido mais letal entre pretos e pardos e este fato está ligado à desigualdade social, além das doenças associadas. Infelizmente pessoas em condições de vulnerabilidade socioeconômica estão mais expostas.

E é neste cenário que podemos notar a empatia, a doação e a caridade se espalhando nas ações das pessoas e das empresas. Essas ações estão criando um caminho para que a solidariedade e a cultura da doação se espalhem pelo Brasil.

Podemos aproveitar essas lições que estamos aprendendo a cada dia também no universo corporativo. Ninguém pode se dizer melhor do que o outro apenas pelo cargo que ocupa, afinal, eu “não sou o cargo”, eu “estou no cargo”, isso é momentâneo. E quando você assume essa postura inclusiva e enxerga as diferenças como algo que agrega, a empresa como um todo só tem a ganhar.

Quando pensamos em diversidade e inclusão, precisamos entender que o posicionamento institucional da corporação deve estar totalmente alinhado para receber e acolher todas as pessoas, entendendo que as experiências, vivências e culturas distintas podem gerar uma troca relevante para a companhia, ocasionando mudanças internas e externas.

Muitos talentos já buscam por vagas em empresas que estão abertas a diversidade e que tenham uma cultura inclusiva. Eles entendem que uma companhia com valores reais de diversidade e inclusão, também possui valores corporativos que sobressaem aos interesses e crenças individuais, e que valoriza o profissional. Esse olhar flexível para as mudanças nas corporações se faz necessário, já que é uma estratégia cada vez mais indispensável para reter os profissionais.

As mulheres, pessoas negras, LGBTI+, com deficiência devem ter as mesmas oportunidades que as demais pessoas e a crise atual vem justamente para abrir nossos olhos em relação a inclusão. A esperança que fica agora é que esse aprendizado seja para sempre.

Cris Kerr é CEO da CKZ Diversidade, consultoria especializada em Inclusão & Diversidade, professora da Fundação Dom Cabral, Mestra em Sustentabilidade e idealizadora do 10º Super Fórum Diversidade & Inclusão, evento que apoia as corporações a construírem ambientes mais diversos e inclusivos, tornando-as mais inovadoras e sustentáveis.

 


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar