Gestão

RH: 27% das empresas não estavam preparadas para o trabalho remoto

Estudo realizado indica os principais desafios e sentimentos dos profissionais de RH durante a pandemia

A Creditas, plataforma 100% digital da América Latina que usa o crédito com garantia para viabilizar conquistas, por meio de sua solução completa de benefícios oferecidos para colaboradores e RHs, Creditas @Work, realizou uma pesquisa, entre julho e agosto, com profissionais de RH de todo o País para entender um panorama completo sobre as mudanças geradas em decorrência da Covid-19, bem como os impactos para as empresas e os colaboradores.

“Essa pesquisa nos ajudou a conhecer a fundo o cenário da atuação dos profissionais de RH diante tantas mudanças. Entre diferentes dados, vimos que ao longo deste período os RHs estão preocupados com os benefícios oferecidos aos colaboradores e isso é fundamental para os apoiarmos cada vez mais com soluções que ajudem na relação que cada colaborador tem com o dinheiro, mostrando que é possível chegar a um equilíbrio financeiro dentro das suas condições.” reforça Ramires B Paiva, VP de Empréstimo Consignado Privado da Creditas.

Como se sentem os profissionais de recursos humanos

Sobre os sentimentos em relação à Covid-19 e ao momento: 36% dos profissionais de 45 a 60 anos se sentem resilientes, 25% dos colaboradores de 20 a 34 se sentem ansiosos e 12% entre 20 e 34 estão estressados.

Sobre os sentimentos em relação ao trabalho: 21% dos profissionais entre 35 e 44 anos sente resiliência, 19% dos entrevistados entre 45 e 60 sente confiança, 13% entre 20 e 34 anos sente ansiedade e 17% desta mesma faixa etária sente estresse.

Status do trabalho remoto nas empresas

A pesquisa apontou que no período de resposta à pesquisa, 40% das empresas ainda estavam com todos ou com a maior parte dos colaboradores trabalhando de casa e 25% já estavam no escritório, índice puxado pelo setor industrial. Empresas de serviço tinham 26% de todos os funcionários trabalhando de casa, enquanto que Indústria 3% e comércio 4%.

As empresas e funcionários estavam preparados para o trabalho remoto? 

Os entrevistados disseram que 27% das empresas estavam completamente despreparadas para o trabalho remoto e 26% dos colaboradores também não estavam preparados. As empresas multinacionais eram mais preparadas (31%) que as nacionais (24%). O setor de serviços aparece mais preparado (32%), em oposição ao setor industrial (15%).

Por que esse despreparo para o trabalho remoto?

O trabalho remoto não era uma realidade para a grande maioria das empresas antes da Covid-19. 49% não oferecia a possibilidade de home office para nenhum funcionário e 35% oferecia para uma minoria.

Entre as empresas mais preparadas, 81% ofereciam trabalho remoto para alguns funcionários. Entre os funcionários mais preparados, os índices são um pouco menores, 64% oferecia office home. Mais da metade das empresas nacionais (52%) não oferecia trabalho remoto.

Práticas adotadas durante a pandemia

Das empresas ouvidas, 95% adotaram alguma medida, como diminuição de jornada de trabalho e antecipação de férias e 80% dos profissionais de RH participaram diretamente de alguma delas. 60% das empresas ofereceu antecipação de férias individuais, 48% teve redução de jornada e trabalho e 42% ofertou equipamentos para o home office, como computadores ou outras ferramentas.

Sobre as ações que as empresas estão promovendo para auxiliar as famílias impactadas pela redução de jornada e salário e/ou demissões, 20% fizeram adequações das políticas de remuneração, 19% oferecem empréstimo consignado, 17% auxiliaram na educação financeira e 14% anteciparam salários.

Digitalização de processos

67% não vê dificuldades em realizar entrevistas por chamadas de telefone ou videochamada e 63% acha simples fazer comunicados da empresa para os colaboradores.

Já o processo de contratação acontecer sem ter tido um encontro presencial, foi difícil para 43% e a demissão à distância foi mais complexa para 65% dos profissionais. Para sete em cada 10 profissionais, a seleção de candidatos será virtual nos próximos tempos.

Perspectiva para a área de RH e demais profissionais

  • Fora do ecossistema da empresa: para 78%, a distância do espaço físico do trabalho e consequentemente da convivência com os colaboradores impacta no reconhecimento das novas necessidades geradas no dia a dia.
  • Timesheet: um ponto muito discutido em tempos de trabalho remoto é justamente a produtividade, que acaba associada ao tempo de trabalho. E sobre o controle do ponto dos colaboradores, 58% acredita que isso segue sendo um desafio para o presente e futuro próximo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo