Segurança do trabalho

RH e os impactos financeiros do absenteísmo nas empresas

Para o controle de absenteísmo é necessário que a empresa faça a avaliação das causas de afastamento dos colaboradores

O controle do absenteísmo é, atualmente, um dos maiores desafios das empresas em função dos impactos financeiros que ele produz. Os custos associados ao absenteísmo são:

  • Perda de produtividade
  • Aumento do custo com horas extras
  • Impacto nos custos do plano médico e FAP (fator acidentário de prevenção)
  • Perda de negócios

Como vimos acima o impacto do absenteismo extrapola o pilar de produtividade. Um estudo feito pela Mercer Marsh Benefícios em 2016 com uma empresa do segmento automobilístico para entender o impacto das princiapais causas de absenteísmo demonstrou que os afastamentos relacionados a problemas no ombro, geraram, em 12 meses, um impacto de R$2,5MM em dias perdidos de trabalho e um impacto de R$8,3 MM no sinistro médico.

Para o controle de absenteísmo é necessário que a empresa faça a avaliação das causas de afastamento dos seus colaboradores e gere dados estatísticos que demonstrem o absenteísmo gerado por doença, decorrente do trabalho ou não, e com isso, consiga estabelecer um programa de gestão do absenteísmo. Este programa para ser efetivo deve conter:

  • Sistema que agregue as informações relacionadas ao absenteísmo e integre com outras fontes de dados de saúde, permitindo um mapeamento mais abrangente do impacto gerado pelo absenteísmo, demonstrando sua influência sobre a produtividade e tambem sobre outros pilares (sinistro médico, fator acidentário de prevenção…).
  • Participação da alta direção, gerência e supervisão na análise dos indicadores de absenteísmo com o objetivo que eles entendam a dimensão do impacto financeiro gerado pelo absenteísmo, ajudem na multiplicação das informações recebidas para o resto da organização e auxiliem na fiscalização de eventuais desvios.
  • Criação de ações preventivas que permitam atuar sobre as principais causas de afastamento. Essas ações envolvem: palestras, treinamentos, diálogos de saúde na área de trabalho, programas de saúde com foco nas patologias identificadas, veiculação de material educativo…

Uma pesquisa feita pela Mercer Marsh Benefícios em parceria com o Instituto HERO (Health Enhancement Research Organization) e divulgada no final de 2016 demonstrou que as empresas no Brasil ainda não possuem um controle eficiente sobre o absenteísmo:

  • 33% das empresas participantes possuem indicadores de absenteísmo
  • 17% das empresas desenvolvem ações preventivas de absenteísmo
  • 24% das empresas participantes integram as informações de absenteísmo com sinistro médico

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar