Boas práticas

RH impulsiona programas de orientação ao crédito nas empresas

Na indústria de alimentos Santa Helena, iniciativa prevê atendimentos individuais e palestras com dicas financeiras

São várias as atrações de compra entre vitrines e lojas virtuais: a última tendência da moda, o smartphone recém-lançado e outros diversos “sonhos” de consumo que levam os brasileiros a recorrer ao crédito, muitas vezes de forma desenfreada. O resultado mais comum é o endividamento, que pode interferir na qualidade de vida e, também, na produtividade profissional. Por esse motivo, empresas como a indústria de alimentos Santa Helena investem em programas para orientar os colaboradores a se planejarem financeiramente.

Dados de mercado comprovam que o número de pessoas com problemas para organizar as contas segue em crescimento. O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em conjunto com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), divulgou, em dezembro de 2018, que mais de 63 milhões de pessoas estão com o CPF restrito no País e indicou um crescimento de 10% da média nacional das dívidas bancárias, dentre elas se destacam os empréstimos via crédito consignado.

A facilidade de obtenção do recurso e as baixas taxas de juros aplicadas na modalidade são atrativos que têm feito a procura disparar. Segundo o Banco Central (BC), em outubro, a soma das concessões com desconto na folha de pagamento ultrapassou os R$ 18,2 bilhões. Recorde, o valor é superior em 33% ao mesmo período de 2017.

O peso das dívidas não está somente no bolso do endividado. As implicações são psicológicas e afetam tanto a vida pessoal como profissional, como afirma Ana Carolina Longo Ferreira, analista de responsabilidade social na indústria de alimentos Santa Helena. “A preocupação em torno da dívida é tamanha que impacta até mesmo a produtividade no trabalho, uma vez que ela pode provocar desatenção, quadros depressivos e gerar ansiedade”, diz a profissional.

Ana Carolina é a responsável por estabelecer o novo ciclo do programa corporativo Consultório Financeiro, criado na Santa Helena em 2018 para dar suporte aos colaboradores que precisam de orientação para melhorar o planejamento orçamentário. ‘A inciativa foi desenvolvida diante do panorama nacional de aumento das dívidas e da guinada da procura interna por empréstimos consignados e pedidos de antecipação de 13º salário. Nosso intuito é direcionar as escolhas financeiras para evitar problemas futuros.”

Entre as atividades previstas no programa estão atendimentos pessoais, de formato similar ao realizado por coaches, mas com objetivo estritamente financeiro. No mínimo, quatro sessões serão ofertadas aos participantes. Todo o processo é conduzido internamente, por profissionais com expertise em finanças. Desta vez, a ação contará, ainda, com palestras ministradas por instituições parceiras, como bancos e o SESI (Serviço Social da Indústria).

A satisfação com os primeiros resultados impulsionou a renovação do trabalho neste fim de ano. “Depois de aproximadamente um ano de acompanhamento, formamos um novo grupo para levar o conhecimento financeiro a mais pessoas. Buscamos orientar para um equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, aumentar a satisfação do colaborador e atender ao princípio de promover a integridade física e emocional do time Santa Helena”, ressalta Ana Carolina.

Para Arthur De Souza Soares, colaborador da empresa e um dos participantes da nova rodada do Consultório Financeiro, este será um momento de aprendizado. “O olhar de outra pessoa ajuda a dar a dimensão do problema financeiro e, também, uma direção para saber por onde começar para sanar as dívidas. É uma maneira de entender todos os processos que permeiam o planejamento orçamentário.”

 

 

Etiquetas

Artigos relacionados

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios