São Paulo foi sede da primeira edição do CONALIFE

 Liderança feminina conquista novos espaços

A primeira edição do CONALIFE – Congresso Nacional de Liderança Feminina, realizada no último dia 27 de junho, contou com a presença de mais de 600 congressistas, no Teatro Cetip – Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.

Promovido pela ABRH-SP em parceria com a ONU Mulheres, o evento de liderança feminina proporcionou aos congressistas debates sobre o que é preciso fazer na prática para avançar nas questões relativas à equidade de gênero e empoderamento das mulheres.

A abertura do CONALIFE teve a participação da representante do Escritório da ONU Mulheres no Brasil Nadine Gasman. “Todos nós que trabalhamos na construção de um planeta 50-50 igualitário sabemos que a chave para atingir essa proporção são as pessoas que fazem o recrutamento nas empresas e que tomam conta das condições de trabalho. Falar para uma audiência lotada por essas pessoas neste teatro é realmente um grande privilégio”, disse Nadine.

Durante o evento, uma ação concreta foi anunciada pelo presidente da ABRH-SP Theunis Marinho: trata-se de uma ação popular para ampliar em duas etapas a participação feminina nas casas legislativas (federal, estadual e municipal), inicialmente para 30% e, na legislatura posterior, para 50%, mudando a lei nº 9.504, de 1997, que exige que os partidos e coligações tenham 30% de mulheres na lista de candidatos para eleições.

O projeto de lei de iniciativa popular previsto no artigo 61, parágrafo 2º da Constituição Federal de 1988, será entregue à presidência da Câmara dos Deputados. “A ação precisa de no mínimo 1% da população eleitoral nacional mediante assinaturas distribuídas por pelo menos cinco Estados federativos e no mínimo 0,30% dos eleitores em cada uma dessas unidades. A ABRH-SP quer se unir a todas as entidades e movimentos da sociedade civil que veem Justiça nessa causa, incluindo também a ABRH-Brasil e todas as demais seccionais”, completou Marinho.

Conhecimento, atitude e Inspiração

Ao longo do dia, os congressistas acompanharam três painéis com os temas voltados para o Conhecimento, Atitude e a Inspiração.Para se ter uma ideia da relevância dos temas, no painel do conhecimento, Fernando Modé, vice-presidente corporativo do Grupo Boticário, participou do debate ao lado de Paulo Nigro, presidente do laboratório farmacêutico Aché; Lígia Pinto Sica, coordenadora do Grupo de Pesquisas em Direito e Gênero da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas; Marienne Coutinho, sócia responsável por International Tax da KPMG e co-presidente da WCD no Brasil; e Tania Cosentino, presidente da Schneider Electric para América do Sul. Vice-presidente da ABRH-SP, Lilian Guimarães conduziu a moderação.

Já o painel da Atitude discutiu as melhores práticas de seleção e retenção de mulheres, bem como as questões de sucessão e carreira, com as participações de Rosilane Purceti, diretora de RH do Grupo Sanofi Brasil; Lia Azevedo, vice-presidente de Desenvolvimento Humano e Organizacional do Grupo Boticário; e Laura Pires, diretora de Sustentabilidade e do Instituto GPA do Grupo Pão de Açúcar (GPA). A moderação ficou a cargo de Sofia Esteves, fundadora do Grupo DMRH e da Cia de Talentos.

Exemplos de mulheres que obtiveram sucesso nas áreas social, política, de RH e empreendedorismo foram o foco do painel da Inspiração. Participaram do debate Ana Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora; Fernando Rodrigueiro, diretor de RH da Unilever; Raquel Preto, sócia da Preto Advogados; e Alcione de Albanesi, presidente da ONG Amigos do Bem. Leyla Nascimento, presidente da Fidagh – Federación Interamericana de Asociaciones de Gestión Humana foi a moderadora.

 

Homenagem Especial

Um dos momentos marcantes do evento foi a homenagem a Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho Administrativo do Magazine Luiza, pelo trabalho em prol da equidade de gêneros no ambiente corporativo. Ela foi chamada ao palco pela diretora executiva Comercial da ABRH-SP Edna Goldoni, que destacou a trajetória de Luíza como símbolo de luta, conquista, garra, coragem, fé e atitude.

“Eu acompanho há mais de 30 anos, e desde os primeiros eventos, a luta da ABRH para mostrar que as pessoas são importantes dentro das organizações”, disse Luiza, que parabenizou o sucesso do CONALIFE e reiterou o quanto investir na mulher é fundamental para que o país se desenvolva economicamente.

Edna Vasselo, Luiza Helena Trajano e Theunis Marinho
Edna Goldoni, Luiza Helena Trajano e Theunis Marinho

No final do dia, a AON presenteou os congressistas com uma surpresa: um pocket show com a soprano brasileira Carmen Monarcha, solista convidada da André Rieu & Johann Strauss Orchestra. Acompanhada pelo pianista Daniel Gonçalves, Carmen brindou o público com clássicos da MPB, como “Garota de Ipanema”, e “Habanera”, ária da ópera Carmen, de Georges Bizet.