Diversidade

SAP entra no Índice de Igualdade de Gênero da Bloomberg pelo segundo ano consecutivo

No Brasil, empresa realiza uma série de iniciativas voltadas à equidade de gênero

A SAP entrou mais uma vez no Índice de Igualdade de Gênero da Bloomberg (Bloomberg Gender-Equality Index) por suas ações voltadas à inclusão. A iniciativa destaca as empresas comprometidas com a transparência nos relatórios de gênero e que têm avanços para garantir a igualdade das mulheres no mercado de trabalho.

A igualdade de gênero é um valor fundamental da SAP e uma prioridade para se tornar a empresa de software mais inclusiva do mundo, mantendo os níveis de competitividade. Em 2011, a companhia se propôs a elevar a participação das mulheres na gestão dos negócios, estabelecendo a meta de tê-las em 25% do grupo de liderança até 2017 e 30% até 2022. A SAP atingiu a primeira meta seis meses antes do prazo e fechou o ano de 2019 com o patamar de 26,4% com mulheres em cargos de liderança. A inclusão no Índice Bloomberg 2020 segue a recertificação da SAP para o padrão global Dividendos Econômicos pela Igualdade de Gênero (Economic Dividends for Gender Equality – EDGE), acorrida em outubro de 2018.

O Índice de Igualdade de Gênero da Bloomberg utiliza um quadro padronizado de relatórios que oferece às empresas a oportunidade de divulgar como promovem a igualdade de gênero em quatro áreas distintas: estatísticas, políticas da empresa, engajamento da comunidade e produtos e serviços. As empresas que pontuam acima de um patamar estabelecido globalmente são incluídas no Índice. A iniciativa contribui para atendimento a uma demanda crescente de investidores para incorporar dados ambientais, sociais e de governança nas decisões diárias de investimento. Atualmente, apenas 10% das empresas elegíveis divulgam políticas e práticas de gênero no local de trabalho.

Operação brasileira segue os padrões globais da SAP

Nos últimos anos, o número de mulheres contratadas e promovidas na SAP e a porcentagem de mulheres em cargos de liderança em toda a empresa têm apresentado uma tendência de crescimento. As mulheres são 31% da força de trabalho na SAP Brasil. Nos cargos de liderança, a companhia atinge 25.3% e a meta é obter 30% até 2022.

“A SAP tem um programa consolidado para aceleração de mulheres em cargos de liderança, o LEAP – Leadership Excellence Accelerate Program. Além deste, no Brasil lançamos diversas iniciativas, dentre elas o Speed Mentoring para Mulheres que disponibiliza mentorias com o time feminino de lideranças, com o objetivo de desenvolver novas competências, trabalhar exposição, networking e alavancar o crescimento profissional e pessoal das profissionais participantes”, explica Marcelo Carvalho, diretor de RH da SAP Brasil.

O executivo também destaca alguns diferenciais da operação, como licença maternidade estendida de seis meses, licença paternidade de um mês, sala de amamentação e uma atividade recente que tem trazido resultados muito positivos, que é a rede de apoio e coaching para mulheres que voltam de licença maternidade e que é liderada pela diretora jurídica da SAP, Sandra Gouveia.


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar