Gestão em TI

Trabalho remoto requer cuidados com a segurança digital

Especialista alerta sobre alguns cuidados e recomendações necessários para proteção de dados fora do ambiente corporativo

Com o aumento diário dos casos de Covid-19 no país e no mundo, a prioridade neste momento é a prevenção. Diante da velocidade com que o vírus se propaga, algumas medidas emergenciais começaram a ser tomadas, incluindo o movimento das empresas em adotar o trabalho remoto. Porém, nem todos estão preparados para este formato que também pede regras e, acima de tudo, cuidados com informações das empresas. Fora do escritório, não haverá todo o aparato de proteção da rede, mas isso não impossibilita a realização das atividades.

“São muitos os fatores a serem considerados no cenário atual. Levando em consideração que as pessoas vão trabalhar diretamente de casa usando banda larga fixa não compartilhada, a primeira atenção é estarem certas de que os roteadores estejam configurados com criptografia, senha contendo caracteres, números, símbolos, já que vão utilizar o wi-fi. Caso o trabalho seja realizado em outro ambiente como um hotel ou cafeteria, a recomendação da VPN (Virtual Private Network) é total”, alerta Marcus Garcia, VP de produtos da FS, empresa que desenvolve produtos e serviços de segurança digital.

Segundo o executivo é bem provável que a maioria dos que migraram para o home office utilizem um equipamento caseiro como o notebook ou tablet da família. “Neste caso é importantíssimo que a máquina esteja com o software 100% atualizado, assim como navegador, aplicativos, antivírus e ter a certeza de que está com cópias originais instaladas. As ‘pirateadas’, além de não ser correta a utilização, não recebem atualizações deixando o computador vulnerável”, alerta.


Pode ser também, que optem em trabalhar alocados em espaços de coworkings, cafeterias e outros locais, que não a própria casa. O wi-fi será público e a segurança estará em risco. “Não adianta proteger tudo e deixar a máquina vulnerável. Há vírus que são muito mais complexos e atacam especificamente computadores. Esses têm muito mais poder sobre os dispositivos, do que os que existem para celular. Por isso reforço a importância de ter um antivírus 100% atualizado no computador, pois nele irão trafegar planilhas, informações financeiras que normalmente estariam em uma rede segura na empresa”, aconselha Garcia.

Coronavírus no WhatsApp

Além dos cuidados para não ser infectada com o COVID-19, a população precisa saber lidar com a ‘infecção cibernética’. Em momentos de pandemia como o atual, os hackers ficam mais ativos e bombardeando links maliciosos para praticarem seus roubos de informações, dados, senhas etc.

“Eles estão se preparando com algumas munições no sentido das fake news. Tem muita gente fazendo coisa importante em casa como transações bancárias da empresa, informações sobre os funcionários e isso é muito atraente para os criminosos que buscam pela vulnerabilidade. Então para se informar sobre o coronavírus sugiro utilizar somente os canais oficiais e não repassar mensagens, links e arquivos. Eles são portas de entrada para tentativas de fraude. Não se exponha a um risco adicional desnecessário”, recomenda.

Os ataques miram, além dos e-mails, contas do WhatsApp que são roubadas e, a partir daí, mensagens são enviadas para as listas de contatos iniciando um ciclo de engenharia social com pedidos dinheiro ou envio de códigos para confirmação de presença em festas promovidas por famosos.

Por fim, o executivo destaca dicas essenciais para um bom andamento no home office:

• Utilizar um notebook ou computador somente para os trabalhos da empresa;
• Checar se as versões do software e o antivírus estão 100% atualizados;
• Não instalar programas ou ferramentas de compartilhamento de arquivos que não sejam de empresas conhecidas e confiáveis;
• Muito cuidado no wi-fi público. Fora de casa, VPN sempre;
• Antivírus gratuito pode ser um começo, mas o usuário deve estar ciente de que este sofre menos atualização, não é tão completo do que um produto pago;
• Se a empresa não oferecer equipamento protegido, deve utilizar uma conexão preferencialmente a cabo, velocidade mínima de internet, sistema operacional atualizado e, claro, antivírus;
• Procurar recursos que garantem transferência de dados com segurança. Focar sempre em fabricantes de confiança.

Etiquetas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar