Gestão em TI

Trabalho remoto: Segurança da Informação ainda é um dos grandes desafios do home office

Além de alinhamentos e transparência na gestão de pessoas, estrutura de trabalho precisa ser monitorada para garantir cyber security

Adotar o home office não é apenas mudar o local de trabalho para o ambiente doméstico. Várias questões envolvem o desempenho das atividades profissionais fora das barreiras físicas da empresa. O modelo de atuação potencializado pela pandemia precisa de investimentos em estrutura – o que interfere diretamente na qualidade da produção, dependendo do ramo do negócio. Hoje em dia, a maioria dos empreendimentos dependem da área de tecnologia da informação (TI) para gestão – e não garantir a segurança dos dados é correr um risco que pode trazer preços altos a se pagar.

“Muitas empresas não estavam preparadas para o trabalho remoto, deixando suas informações desprotegidas nessa abertura de acesso fora da empresa. Por isso, a infraestrutura tecnológica escolhida para alocar seus sistemas de gestão tem grande peso quando falamos de segurança”, explica Jean Jader Martins, diretor comercial da Global Gate DC, empresa do grupo Bludata, especializada em soluções de segurança e armazenamento de dados.

Garantir que as informações do negócio estejam em um ambiente seguro reflete na estabilidade da operação das rotinas de trabalho. “Com a análise de mercado que fazemos, percebemos que até as grandes empresas sofrem por conta da vulnerabilidade apresentada em suas infraestruturas de TI. Exemplo disso é o vazamento constante de e-mails e dados pela Internet no mundo inteiro. Além de causar danos, esse problema tornou-se crime com a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados. Com os colaboradores em home office, essa suscetibilidade aumenta, pois, o uso de equipamentos pessoais desprotegidos e redes domésticas para o desempenho das funções profissionais pode interferir na segurança dos dados da empresa”, completa Jean.

Para evitar as ações de hackers (que vão desde espionagens, clonagem de dados até sequestro de informações e destruição de sistemas completos), apostar em soluções tecnológicas é um bom investimento. Ter um software de controle de acessos, bloqueio de malwares e um sistema integrado com os equipamentos e plataformas usados pelos colaboradores são algumas das medidas que preservam a integridade das informações. Segundo Jean, as boas práticas do compartilhamento de informações feitas de forma clara e abrangente entre os usuários do sistema também complementam o cyber security.

As soluções de TI disponíveis no mercado são inúmeras – e a Global Gate DC destaca dois em especial, que podem ser adotados em empresas de qualquer porte. Um deles é o Endpoint, um serviço que traz um conjunto de soluções para identificar potenciais ameaças de segurança à estrutura de tecnologia das empresas e garantir a conectividade de qualquer lugar sem renunciar à privacidade e à proteção dos dados.

A outra solução é o Backup & Disaster Recovery, um sistema que oferece proteção de dados através de ferramentas, processos, pessoal capacitado e infraestrutura para garantir que as informações estejam protegidas e íntegras no caso de incidentes de segurança. “São medidas que asseguram que as informações permaneçam onde precisam estar, sem correr o risco de vazamentos. As mudanças nas rotinas produtivas pedem mais atenção com a segurança de dados, principalmente por conta do crescimento das contratações remotas. Além disso, uma empresa que investe em segurança de dados acaba construindo uma imagem sólida e de credibilidade no mercado”, finaliza Jean.  

Botão Voltar ao topo