BenefíciosEducação CorporativaOpinião

Vivendo e sempre aprendendo

A tecnologia encurta a distância entre quem ensina e quem aprende

No ambiente corporativo, a expressão APRENDIZ se tornou sinônimo de alguém começando a carreira. Mas na verdade, ela tem um significado mais amplo, que acredito que deveria ser mais valorizado. Afinal, essencialmente, o aprendiz é aquele que APRENDE.

Aprender é verbo proativo, é busca constante e voluntária de atualização para todas as idades, hierarquias, setores e classes sociais. Não deve ser algo preso a uma sala de aula. E, neste momento de isolamento social, há ainda mais oportunidades para participarmos de cursos, workshops, palestras, webinars. A tecnologia encurta a distância entre quem ensina e quem aprende.


Não por acaso, as buscas por “cursos on-line” aumentaram mais de 120% no Google. A Fundação Getúlio Vargas fala em incremento de 400% na adesão em seus cursos virtuais gratuitos nos últimos meses. O mesmo vale para a Catho Educação (com aumento de 68% nas matrículas para cursos EAD) e o curso de idiomas Babbel (que teve crescimento de 25% nas matrículas).

Para completar, de acordo com um estudo da NZN Intelligence, que ouviu quase 2.000 brasileiros, cerca de 40% têm interesse em inscrever-se em cursos online durante a quarentena. Este pensamento está de acordo com o chamado lifelong learning (aprendizagem ao longo da vida, em tradução livre).

Vivemos uma realidade de mudanças constantes na qual o modelo formal não é o bastante para manter as pessoas atualizadas. O conceito vai além de ser alguém corporativamente capaz de se adaptar a mudanças dentro de uma nova economia. É sobre ter sede de aprendizado, o que é saudável também para a vida acadêmica e mesmo pessoal. Tudo é fruto de um processo para que você se torne uma pessoa melhor.


Aqui mesmo na Edenred, muito antes da quarentena, promovemos ações on-line e presenciais para o desenvolvimento constante dos nossos profissionais. Uma delas é a EDU, que nasceu na Edenred Brasil há 4 anos e agora está presente em 46 países de atuação do Grupo, com cursos sobre as necessidades dos clientes; desenvolvimento de habilidades comerciais em negociações; e até mesmo aprender a criar bons roteiros utilizando storytelling.


A diversificação de conhecimento, que representa uma mudança de mindset, ajuda a abrir portas, trazendo novas experiências e habilidades. Aprender sem parar pode ser a fagulha para que você se descubra um empreendedor em potencial. No fim, a fome por conhecimento precisa ser constantemente cultivada para que nos tornemos pessoas naturalmente mais curiosas.

Por Gilles Coccoli – Chief Operating Officer Américas da Edenred

 


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar