ArtigoColunista
Tendência

Voluntariado de habilidades gera engajamento e impacta vidas

O mais impactante dessas iniciativas é ver o quanto os profissionais criam vínculos com as entidades, gerando um interesse genuíno em conhecer os projetos

O ano de 2020 extrapolou qualquer planejamento e exigiu muita resiliência de profissionais e empresas para se adequar rapidamente a realidade imposta pela crise da Covid-19. Não foi diferente com a área de Comunicação e de Responsabilidade Social, e a palavra-chave foi engajamento.

Manter as equipes motivadas se mostrou ainda mais essencial para a continuidade dos negócios, valorizando a importância de cada funcionário na engrenagem para manter a qualidade do atendimento aos clientes, ao passo que estes também estavam diante de novos desafios e muitos dos projetos que estavam programados precisaram de revisão parcial ou de total reformulação.

Uma demanda dos nossos colaboradores foi sobre como contribuir com a sociedade no enfrentamento da crise. Desde o início fomentamos a contribuição com diversas iniciativas de segurança alimentar em comunidades como a de Paraisópolis e de populações ribeirinhas no Amazonas. Também recebemos muitas sugestões e questionamentos sobre como iríamos trabalhar os projetos de voluntariado diante da continuidade da crise da Covid-19 e manutenção do isolamento social como principal recurso de prevenção ao contágio.

Globalmente a SAP tem uma forte política de incentivo ao voluntariado e que é seguida pela SAP Brasil com grande engajamento todos os anos. Para 2020, colocamos metas ainda mais ousadas, pois entendemos que não só o momento do País exige maior participação das empresas como também acreditamos que cada indivíduo precisa fazer a sua parte no uso desta plataforma que tem limites, que é o planeta Terra em que vivemos.

Focamos o programa de voluntariado para atividades que pudessem ser realizadas remotamente mas com grande impacto social. Nos últimos anos já vínhamos em um movimento de conciliar o voluntariado clássico com as atividades de voluntariado baseado em habilidades (skill-based ou pro-bono). Assim contribuímos para aprimorar a gestão ou algum processo das instituições apoiadas, ampliando a profissionalização ou respondendo a um desafio de operação.

Ao longo de 100 dias, entre setembro e o início de dezembro, o time da SAP Brasil tem a oportunidade de escolher se dedicar a projetos nas áreas de tecnologia, educação, sustentabilidade, suporte a vendas, compras, artesanato, finanças, comunicação, marketing e várias outras habilidades. Eles são vinculados a 10 ONGs parceiras e todos envolvem algum tipo de treinamento, mentoria ou aplicação de tecnologia – tudo realizado remotamente entre os voluntários SAP e as pessoas atendidas pelas ONGs. Restando ainda quase dois meses para o encerramento do programa de voluntariado, já alcançamos a meta de 1 mil horas dedicadas aos projetos de voluntariado e engajamento de mais de 40% dos 1.100 profissionais da SAP Brasil.

Um dos exemplos nesse sentido é um aplicativo para monitoramento e prevenção de incêndios na região de Brumadinho, em Minas Gerais. Em parceria com a instituição Brigada Carcará, especializada em combate a incêndios, o objetivo é desenvolver um sistema utilizando geolocalização, com alertas para fluxo de execução. Este projeto ganhou impulso com a dedicação de horas de voluntariado e será entregue em 2021.

Outro projeto que contou com forte engajamento das equipes foi o da Operação Sorriso, uma das maiores organizações médicas voluntárias do País, dedicada à correção cirúrgica da fenda labiopalatina. A SAP doou licenças do sistema de gestão para empresas em crescimento SAP Business One e vem implementando com o apoio de parceiros e voluntários um conjunto de software e hardware para aprimorar a gestão da entidade, controlar estoque de materiais cirúrgicos, organizar as informações das triagens, negociar com hospitais regionais que cedem leitos por alguns dias para realização das cirurgias e organizar os calendários dos novos mutirões.

O mais impactante dessas iniciativas é ver o quanto os profissionais criam vínculos com as entidades, gerando um interesse genuíno em conhecer os projetos, as pessoas atendidas e entender como podem fazer mais e melhor para que os impactos na comunidade sejam duradouros e transformem vidas. Mais do que doar algumas horas, o que recebemos nos depoimentos dos funcionários é a sensação de pertencimento e de bem-estar num momento em que o engajamento com a sociedade se faz cada vez mais necessário.

Luciana Coen é diretora de Comunicação e CSR da SAP Brasil


Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo